Que perfume era aquele? Agora eu sei!


by Vanessíssima em , , , ,

Comments Off

Admito que sofro de um certo grau de idiotice crônica. Sou incapaz de parar alguém na rua pra perguntar que perfume delicioso é aquele que a criatura em questão está usando. Bobice, né? Pior que eu sofro tanto depois. E como sofro! Fico com aquele cheiro na cabeça (e no nariz), querendo saber qual fragrância era.

Outro dia passei ao lado de um rapaz com um cheirinho sublime de bombom. Segui adiante imbecilmente como se eu não tivesse olfato. Queria aquele perfume pra mim. Mas a vergonha falou mais alto.

Há alguns anos, voltando da academia, topei com uma moça saindo de um pet shop, exalando um aroma magnífico e sensacional. Fiquei com aquilo pra mim, congelei o momento, sonhando um dia em encontrar aquele perfume. Sim, ele mexeu comigo.

Perdida e sem saber por onde começar, saí feito louca cafungando trocentos frascos nas perfumarias em busca do dito cujo. Experimenta chegar na perfumaria e perguntar por um perfume fresco, delicado, confortável, intimista, perfeito para dias frios e com um fundinho beeeeem leve de talquinho de bebê! Experimenta! A vendedora vai te mostrar cada coisa absurda...

Cheguei a ficar com ódio da minha pessoa. Custava eu ter parado a mulher e perguntado? Custava! De modo que a lembrança daquele perfume me perseguiu durante muito tempo. E como perseguiu. Até ontem.

Estimulada por comentários animadores sobre o BLV Notte, da Bulgari, catei uma miniatura na Fragrancex em maio. A idéia era matar minha curiosidade e conhecer o bichinho, já que ele é raridade aqui na roça. Depois da espera, ontem o pacotinho aportou em casa. Quase tive um treco quando apliquei um pouco do perfume na mão. Gente, é sério! Quase revirei os olhos e cai pra trás. Era AQUELE, o próprio, ele mesmo, o da moça do pet shop. Senti como se tivesse ganhado na loteria.

Com notas de galanga, mandarina, bergamota, gengibre, vodka, acácia, flores de tabaco, íris, âmbar, incenso e chocolate escuro, o BLV Notte ficou exatamente assim em mim: fresco, delicado, confortável, intimista, perfeito para dias frios e com um fundinho beeeeem leve de talquinho de bebê. Enfim, igual ao da moça do pet shop - e diferente do que rolou com algumas pessoas segundo eu li por aí (nelas, a vodka ficou evidente e incomodou). Até meu marido, desligado/avesso pra essa coisa toda de cheiros, comentou (“hummm, que perfume bom” foram as sábias palavras dele).

PS: Agora que “descobri” a Bulgari, estou curiosíssima pra conhecer o Jasmin Noir, o Omnia Crystalline e o Omnia Amethyste.

Mais sobre o BLV Notte aqui.