Nojo de loja metida


by Vanessíssima em , ,

Comments Off

Ontem botei na cabeça que precisava cafungar o Inspiration, da Lacoste (acima). Queria conhecer um perfume com cheirinho de limpeza (roupa limpa, mais especificamente) e ele me pareceu uma boa opção pelo que andei pesquisando. Acontece que fui parar numa lojinha que pelamor, viu?!

Perguntei pelo dito cujo e a vendedora me disse que havia vendido o último frasco há 15 dias. E então indaguei se eles teriam o tester para eu provar, pois eu não conhecia o perfume e adoraria senti-lo na pele.

E foi então que ela me fez uma cara de nojo e só faltou dizer pra fora o seguinte: “Pobre é foda mesmo. Nunca compra e só quer entrar na loja pra se perfumar”. Enfim, ela me disse isto (e de maneira bem idiota): “Não bem [ênfase no “bem”, eca], nós não trabalhamos com provador”.

Opa, como assim?! Trabalhar com provador é crime? Pega mal? É coisa de pobre? Sim, porque fui tudo isso que me pareceu segundo os critérios daquela loja.

Custava a moça ser simpática e dizer algo legal? Legal tipo isto: “Que pena, não trabalhamos com tester aqui na loja, mas o perfume é muito bom. Aliás, se você gosta desse estilo, vai adorar também o blá blá blá”. Simples assim. Ela me atenderia com simpatia, eu voltaria na loja, possivelmente compraria algo de meu interesse (e eu vi muita coisa lá que me interessou) e recomendaria o local para as outras pessoas. Agora ela estragou tudo! Rá!

Detalhes:
1. A loja em questão está localizada no centrão da minha cidade. Engana-se quem pensa que eu estava falando de loja de shopping.
2. Eu nem estava mal vestida ontem. E mesmo assim isso não seria desculpa!
3. A loja em questão é nova (foi inaugurada há pouco tempo).
4. A loja em questão está sempre vazia. Por que será, néam?
5. A vendedora estava num dia ruim? Então ela não sabe vender e deveria mudar de profissão. Atender o público é uma arte cuja primeira lição é tratar bem o cliente independente de qualquer coisa (seja a roupa do cliente ou a briga que a moça teve com a mãe naquela manhã).

Falando nisso, tem uma loja por aqui que eu adoro. Chego lá e deixo claro que só quero conhecer a fragrância. E as vendedoras são super simpáticas comigo sempre; borrifam tudo e mais um pouco, sugerem cheiros e trocam ótimas idéias comigo sobre perfumes. Se eu compro muito lá? Acho que só comprei uma ou duas vezes até hoje.

Não exijo tapete vermelho não, mas respeito como TODO e QUALQUER cliente merece.

Se eu achei o Inspiration? Não, ainda não.