Archive for Julho 2011

Enfim, férias


by Vanessíssima

Comments Off


Senhouras, estou entrando em (merecidíssimas) férias. De volta à programação normal em setembro, ok? Eu juro que vou tentar dar um pulo ou outro aqui em agosto, mas não prometo. Normalmente, eu aproveito esse período pra ficar mais perto do maridón e, claro, longe do micro, que já eu agüento o dia inteiro por ossos do meu ofício jornalístico. No mais, como estarei de mudança para um novo lar todinho meu, imagino que ficarei sem internê por alguns dias até transferirem minha Net (sem contar que meu precioso tempo será focado na arrumação da bagunça monstro pra mudar e organizar a casa nova, néam?). Enfim, se bater saudade, vocês me encontram no E-LINDA, que segue normalmente durante as minhas férias. É isso!

Uma pessoa corrosiva


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off


Fui chamada de pessoa corrosiva esta semana por um colega de trabalho. Ele ficou atônito ao ver meu poder especial. Sim, tenho o dom de fazer com que a tinta de cada letrinha do teclado desbote até apagar. Troquei meu teclado há uns dois meses e as letras já estão sumindo. Troquei justamente porque o anterior estava completamente apagado. Tive que ouvir um “puxa, como você é corrosiva, né?”.

Sinceramente, credito esse “poder” ao fato de eu não viver sem hidratante nas mãos. É, minha cabeça maluca desconfia que o motivo é esse, viu? Isso acontece com mais alguém também ou é só comigo? É que nos últimos tempos, passei a me dedicar com força à hidratação dessa parte do meu corpo, e sei lá, né?

Até pensei em culpar os teclados, mas acho que eles não têm muito a ver não, já que o problema só acontece no trabalho. Os de casa não desbotam nem com reza brava, e eu uso pra caramba.

Vai ver é uma maldição que jogaram em mim quando estagiei num jornal local há (muitos) anos. O único computador disponível na redação tinha um teclado 100% desbotado. Não se via uma letra, um número, um sinal, um nada! Ninguém usava aquilo. Só eu. E desde quando estagiária tem escolha, néam? Enfim, só sei que usei e gostei. Me adaptei rapidinho e tirei de letra. O bom é que ninguém roubava o meu lugar. Ninguém sabia usar aquilo mesmo. No mínimo, morreram de inveja da minha capacidade super sônica de digitar naquilo e me jogaram um feitiço. Se o problema não for o hidratante, ah, certeza que é a maldição. Certeza!

Minha pele deseja: The Microdelivery in-home Peel


by Vanessíssima em , , , , ,

Comments Off

Depois de ler a Renata, fiquei em cólicas desejosas querendo o kit The Microdelivery Peel, da Philosophy. Como o medo de pagar caro e o tiro sair pela culatra foi forte, catei umas amostrinhas no eBay pra experimentar e saber se valia a pena comprar o kitão.

E então minhas amostrinhas chegaram, mas ficaram encostadas em função de um super surto de espinhas que apareceu na minha vida. Preferi esperar e não tacar nada “estranho” na cara até a acne dar tchau. E ela deu. E eis que usei minhas amostrinhas do The Microdelivery Peel.

E, putz, caraca, meldels, isso é a perfeição! Sim, assino embaixo de tudo o que Renata disse. Tudo mesmo! Juro que nem botava taaaanta fé na duplinha, mas foi usar e morrer de paixão. O rosto fica absurdamente macio que é uma coisa. A cútis fica mais uniforme, com uma cor bonita, com viço e tal. E o efeito permanece durante dias! Nunca vi nada parecido. E entendi que vale a pena pagar 65 obamas pelo kit maior (de 60g, mais vantajoso do que o de 30g, que custa 40 doletas). Certeza que o kitão dura horrores, já que vem produto pra caramba e o rendimento é ultra supimpa.

Segundo o fabricante, ele recupera e rejuvenesce a pele, uniformiza a textura e o tom, minimiza as linhas finas e clareia o rostinho. Até agora, pelo pouco que usei, já notei o lance da textura.

O legal é que a aplicação dos produtos é toda única, sabe? O passo 1 é um esfoliante de cristais de vitamina C beeeem grossinho com cheiro e cor de laranja. Você passa no rosto limpo e seco, e massageia suavemente durante um minutinho. Sem enxaguar, você aplica o passo 2 por cima. Ele é um gelzinho transparente de ácido lático. Deixa uns dois ou três minutos e enxágua tudo. O uso é semanal.

Onde tem The Microdelivery Peel pra comprar? Só fora do país. Por isso, é preciso garimpar na internê.

Desejos impossíveis


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off

Sou bem desejosa. Pior que mulher grávida. Meu fraco, como está mais do que claro neste blog, são os perfumes. E basta eu ler algumas palavrinhas mágicas ao me deparar com alguma resenha perfumada que a coisa toma uma proporção fatal. As palavrinhas? Estas: “fragrância descontinuada”. A proporção? Esta: eu não sossego até conseguir o cheirinho em questãn!

Se o perfume é polêmico (do tipo ame ou odeio), pior (ou melhor). Aí que eu vou desejá-lo com vigor. Não raro, passo meses (e até anos) revirando a internê, em busca do difícil.

O caso mais complicado com o qual me deparei envolveu o Crème Brûlée (Tutti Dolci). Ganhei uma amostrinha de uma amiga há uns bons tempos e senti que precisava de um frasquinho pra mim. Foram anos atrás do dito cujo. Anos, meu povo! E, como quem espera sempre alcança, consegui um via eBay. Rojões!

Aliás, o eBay é uma excelente opção pra quem busca raridades. Minha dica: basta ficar de olho e comprar com vendedores que já possuem muuuuitas vendas e que têm mais de 99% de qualificações positivas. O problema é encarar os preços proibitivos que essas fragrâncias costumam ter.

Agora deixa eu compartilhar com vocês meus novos desejos “impossíveis”, nunca dantes cafungados por mim, todos eles mais do que descontinuados e, evidente, atuais alvos das minhas buscas. São eles:

Venezia (Laura Biagiotti)
Por que eu preciso?
Dizem que este perfume é um dos mais perfeitos orientais já feitos pelo homem. E, puxa, a família oriental é minha preferida, cara. Como se não bastasse, muita gente conta que ele é bem parecido com o Amber Romance (Victoria's Secret), outra de minhas paixões. Sorri ao saber recentemente ele voltará a ser fabricado este ano. Resta saber se a fragrância será idêntica à anterior.


Armani Sensi (Giorgio Armani)

Por que eu preciso?
Não o conheço, mas o amo. Os bons narizes insistem que ele é suave, refinadíssimo e de uma beleza singular. Ah, claro, ele pertence à família oriental, o que por si só já me faz revirar os olhinhos de alegria. Existiu também o flanker White Notes, possivelmente delicioso. Veja bem: existiu. Também foi descontinuado. Parece que era uma versão mais soft do Sensi.

Gloria (Cacharel)
Por que eu preciso?
Mais um oriental bem cotado. Baunilha amendoada cremosa e aconchegante? Opa, tô dentro! Quem o conhece, ama de paixão. Nada de meio-termo com ele. Impossível de achar hoje em dia.


Organza Indecence (Givenchy)
Por que eu preciso?
Como resistir àquele frasco leeendo, senhoras? Aquela roupinha esvoaçante me chama! No mais, nove entre dez perfumólatras falam horrores das maravilhas dessa fragrância. Esse outro que não fala é porque não a conhece. Rá! Brincadeiras à parte, Organza Indecence é mais um oriental badaladíssimo que desejo.


Shalimar Ode a La Vanille (Guerlain)
Por que eu preciso?
Shalimar é sempre poder! Com a baunilha acentuada então, nossa! Tenho o irmão dele, o Eau de Shalimar, que tem ênfase no aroma cítrico, e é meu perfume preferidíssimo (ainda faço um post sobre ele). Aliás, a história do Shalimar original é fantástica. Pesquisa pra você ver! E, pra quem não sabe, ele é considerado o primeiro perfume oriental (ui, oriental? é comigo mesmo!). Por essas e outras, preciso participar da ode à baunilha promovida pelo Shalimar! Aliás, eita perfume pra ter flanker bom, viu? Flanker e bom e descontinuado (vide também Shalimar Eau Lègére e etc). Ah, essa Guerlain...


PS: Juro que tentei colocar nest post as fotos de cada perfuminho. Acontece que o super legal editor do Blogger bagunçou tudo, de modos que abortei a operação.

Frase do dia


by Vanessíssima em

Comments Off

Se você não sabe lidar com o meu pior, então, com certeza, você não merece o meu melhor.

by Marilyn Monroe

Eau de Cartier Concentrée (Cartier)


by Vanessíssima em , ,

Comments Off


Fui cafungar esse perfume. Culpa da Duda. E daí que eu gostei. Muito. Tal qual sua cor, ECC (vamos chamá-lo de ECC, ok?) é verdinho, fresco, clean, limpo, discreto e lindo. É o tipo de perfume que te deixa cheirosa e com ar de pessoa bem arrumada por mais simples que seja seu look, sabe?

Mas não espere nada feminino (apesar das flores). Ou masculino (apesar do toque delicado de produto pós-barba que meu nariz maluco encontrou ao cafungá-lo). Espere algo unissex (que é a proposta da fragrância).

Abre parênteses. Porém, cara amiga, se você curte apenas e tão somente perfumes docinhos, é provável que ache o ECC masculino demais pro seu gosto, ok? Fecha parênteses.

Senti ainda um toquinho picante, que me provocou. Cá entre nós, acho ele que tá lá pra fazer a gente se manter acordada em meio ao conforto. É como se o perfume me dissesse: “Sim, sou confortável, mas, por favor, não durma, pois não sou enfadonho. Fique acordada para me sentir, poxa!”.

Não achei ECC tããão cítrico não, viu? Achei mais verde e amadeirado, pra dizer a verdade. E também percebi um mentolado bem pequenininho, beeeem lá no fundo, junto com o amadeirado que pousou sobre a pele.

Enfim, achei ECC tão gostosinho, tão banho tomado, tão suave, chiquetosinho mesmo. Um must have para dias quentes e ensolarados. Um tudo-de-bom pra quem curte ser chique de camisa branca e jeans.

Ele só não foi parar na minha wishlist porque já tenho outros perfumes neste estilo. Se não os tivesse, o ECC eu teria.


Mais do ECC aqui.


Sem palavras


by Vanessíssima em

Comments Off

Novo desejo: L'Instant Magic (Guerlain)


by Vanessíssima em , ,

Comments Off

Mais um da turma: não te conheço, mas já te amo.

Guerlain é dona do meu perfume preferido-idolatrado-salve,salve (lê-se: Eau de Shalimar), por isso tenho uma imensa simpatia pela marca. Bom, simpatia em termos, pois descobri recentemente que minha paixão está sendo descontinuada. Guerlain má! Muito má!

Enfim, voltando à magia... L'Instant Magic possui notas de bergamota, rosa, frésia, almíscar, sândalo, cedro e amêndoa.

Pelos comentários que colhi na internê, L'Instant Magic segue um pouco o estilo de Eau de Shalimar, apesar de pertencerem a famílias olfativas distintas (Magic é floral amadeirado e Eau é oriental). Em comum, parece que ambos possuem saída cítrica, flores e um atalcado com toque de baunilha. Então, acho difícil eu não gostar dele. Em suma, foi pra lista.

Clarisonic: eu uso


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off


Acabei comprando o Clarisonic Mia há alguns meses (falei dele aqui) e, desde que ele chegou (há uns 90 dias), tenho usado o dito cujo quase* toda santa noite. Senti uma boa diferença na pele sim, e pra melhor. Pra mim valeu cada centavo. É claro que o aparelho não faz milagres, mas eu já sabia disso. Pesquisei bastante antes de comprar e me joguei sabendo o que encontraria pela frente.

Ele realmente deixa a pele bem limpinha, com uma textura super incrivelmente gostosa e tal, mas não foi muito além (lembrando que eu já esperava isso). Notei que ele deu uma boa minimizada nos poros, nas espinhas e nos cravos, coisa típica de uma boa limpeza (que eu nunca havia conseguido fazer até ter o bichinho, já que não sou adepta de limpeza de pele com esteticista). Por isso repito: pra mim ele valeu muito a pena. Eu realmente queria algo que super limpasse o rosto, e foi isso o que encontrei.

* Mas por que eu não usei o Clarisonic toda santa noite? Porque acabei pegando uma forte gripe nesse período e, juro por deus, passar esse aparelho no nariz gripado é uma verdadeira tortura. Como a minha gripe levou uns dez dias pra sarar, tive que deixar o Clarisonic de escanteio durante esse tempo. E olha, eu sofri com isso, pois o aparelhinho já havia se tornado parte essencial do meu banho, como passar sabonete no corpo, sabe? Pra ajudar, junto com tudo isso, passei por um problema emocional from hell e o resultado foi um surto de espinhas absurdo (falei como tenho me livrado dele aqui). E posso dizer que meu Mia tem me ajudado com louvor a dar um basta nas espinhas de novo.

Abre parênteses. Eu sou eu (rá!), tenho pele oleosa e mega sensível, tô nos 31 e sou tão branquela quanto uma folha de sulfite. É importante levar tudo isso em conta ao ler este post, ok? Cada pele é uma sentença. Fecha parênteses.


Enfim, eu estou satisfeitíssima com meu Clarisonic. Se um dia ele quebrar [toc toc toc, batendo na madeira] – e eu espero fortemente que isso não aconteça –, decerto comparei outro. Sim, porque eu duvido que alguém em terras tupiniquins saiba consertar um aparelho assim “exótico” nunca dantes visto cá por estas bandas.

Se eu recomendo o dito cujo pra todo mundo, inclusive pra você? Depende. Em suma, o Clarisonic vai ser bom pra você se:

1. Você não esperar nada além de uma super ultra power mega limpeza;
2. Você for disciplinada (é preciso usá-lo todos os dias pra sentir os efeitos, sem contar que não rola pagar caro e deixar o aparelho de lado);
3. Você for delicada (como a escova dele vibra, e não roda, e quem controla a pressão é você, se fizer muita força corre o risco de machucar a pele);
4. Você descobrir o melhor sabonete para a sua pele (esqueça o sabonete que vem com o aparelho, pois aquilo e nada são a mesma coisa, de modos que um bom sabonete – mas bom mesmo – é responsável por 50% do sucesso da coisa toda);
5. Você não tiver medo de fazer uma compra internacional cara pela internet, tendo em mente que corre o risco de ser taxada pela Receita (como ele não está à venda no Brasil, é preciso se arriscar comprando fora, e eu me arrisquei no eBay e, tcharãn, fui taxada).

Dica: Este review do MAKEUPalooza é imperdível e também reflete o que eu achei do aparelho. Ah, e dá uma chegada neste texto, da Renata lá do Bulle de Beauté. Foi o que li de mais sensato sobre o Clarisonic. Lembrando que os comentários sempre são parte importante de um post, por isso não deixe de lê-los, ok?

Impressões imprecisas: Liberté (Cacharel)


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off


Ontem chegou meu Liberté (comprado na santa Fragrancex
há menos de um mês, oba!). Já tinha falado dele aqui e aqui. E, bom, ele é bom. Rá! Chipre suave, confortável, alegre, luminoso, moderno, diurno, gostosinho e com excelente fixação. Ótima pedida pra uso diário, pra ir trabalhar, passear no shopping, tomar sorvete, etc e tal.

Liberté
é o tipo de perfume que te deixa chiquetosinha alto-astral sem arrogância. Ele passa aquela sensação boa de “olha como sou uma garota naturalmente elegante, descontraída e de bem com a vida!”. Sim, ele é assim. Deixa um rastrinho delícia sem ser invasivo.


Engraçado que, assim que ele chegou, fui correndo borrifá-lo e achei que ele ficou tal e qual ao Carolina (Carolina Herrera), que eu tenho em casa e que, por sua vez, tem um quê de Miss Dior Chérie (Dior), do qual possuo algumas amostrinhas. Até maridón, que não liga pra perfumes e não saca nada disso, perguntou se o tal
Liberté já não fazia parte da minha coleção, pois ele já havia sentido esse cheirinho dantes. E olha que eu nem tinha dito pra ele que notei semelhanças com o Carolina e o Miss Dior, hein! Só sei que até bateu uma tristeza em mim. Não queria mais um Carolina, sabe?


Como eu conheço meu nariz, respirei fundo e pensei: hum, melhor deixar pra degustar o
Liberté depois. Sim, porque sair borrifando o perfume assim que ele chega, correndo, no fim do dia, por cima de outro, não rola. E então, com calma, saboreei o Liberté.


Sim, ele faz o estilo do Carolina e do Miss Dior Chérie, perfumes pelos quais não morro de paixão (ok, me apedrejem!). São todos chipres, certo? Mas
Liberté vai mais além e possui uma cremosidade que os outros não têm, o que o torna especial e, na minha opinião, bem melhor do que seus pares. E nem vou comentar o frasco laranja e lindo.


A saída dele é cítrica e ardidinha em função da bergamota, da mandarina, da laranja e da explosão de patchouli. Em seguida, noto que a laranja aparece suculenta e abafadinha em meio a um leve (mas beeem leve) atalcadinho macio, transmitindo uma sensação de conforto tão boa, mas tão boa, que dá vontade de ficar me cheirando toda hora. Senti um tico de limão também (o tal limão amalfitano que aparece na pirâmide olfativa da fragrância). Não distingui o mel e as flores, mas eles estão lá e acho que são os responsáveis pela cremosidade do perfume. Ah, achei uma baunilhazinha suave, delicada e docinha ao fundo. E ainda tô procurando o vetiver e as especiarias. Um dia eu acho. Certeza que acho. Meu nariz pra lá de bizarro vai descobrindo meus perfumes aos poucos.


Por essas e outras, gostei muito do
Liberté. Mesmo! E vindo de alguém que não é grande fã dos chipres, é algo a ser considerado. Uma pena terem descontinuado o dito cujo.


Desquerendo o Chloé EDP


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off


Aconteceu um milagre: deixei de querer um perfume que estava na minha wishlist! Sim, desquero o Chloé EDP New (falei dele aqui). Ok, entrou outro no lugar. Um flanker do próprio, aliás. Agora desejo o Chloé Rose Edition. Rá!

A exemplo do EDP, não conheço o Rose. Tudo o que sei é que este último é uma edição limitada com uma saída mais acentuada de rosas. Dizem que, ao borrifar, ele é mais aberto, mais alegre, mais fresquinho que o EDP, e que depois tudo fica bem parecido (ou seja, elegante, romântico, aveludado, macio e fresco). Ah, sim, outras diferenças: o lacinho dele é rosa (o do EDP é bege) e o precinho (que já não era pequeno) é ainda maior.

As notas do Chloé Rose Edition são rosas, lichia, peônia, magnólia, lírio do vale, âmbar, mel e cedro. Sim, as notas são as mesmas; apenas o tom da saída difere, como eu expliquei aqui em cima.

Enfim, como o Rose é uma edição limitadíssima (ele foi criado pra ser vendido durante a primavera deste ano lá no hemisfério norte, isto é, de março a junho), ele acabou passando na frente. É o próximo da lista.

Atualmente desejando o Prada Infusion D´Iris


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off


Eu tenho amigas más. Elas me dão amostrinhas deliciosas de perfumes só pra me deixarem louca. Tati, do Material Girls, teve a audácia de fazer isso comigo. Ela me mandou um flaconete do Prada Infusion D´Iris há um tempo atrás e, desde então, perdi o sono. Sim, porque agora eu preciso de um frascão dele. Aliás, quero pra ontem!

Eis um atalcado encantador, delicado, equilibrado, macio, confortável e chique. Ele tem notas de tangerina, gálbano, flor de laranjeira, íris, cedro, vetiver, incenso e benjoim. Francamente, só sinto íris e mais íris, que é a responsável pelo toque confortabilíssimo de talco de bebê. Ele é silencioso, não grita. É limpo, diurno e lindo!


Update: A versão que eu conheço é a EDP. Existe também a EDT, mas ela difere da EDP, viu? Até as notas são distintas.

Glow, by J. Lo


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off


Hoje, pela enésima vez, fui cafungar o Glow, da Jennifer Lopez. Confesso que nunca tinha dado bola pra ele. Cafungava por cafungar mesmo. Mas não é que hoje eu adorei ele? Cheirinho de sabonete. Sem mais, pronto e acabou. Simples assim.

Achei o Glow uma delicinha, básico, diurno, fresquinho, suave, bem banho tomado mesmo. A saída dele me lembrou fortemente o Washed Cotton, da Gap. Aliás, eu estava usando justamente o Washed quando provei o Glow e juro que achei os dois bem parecidos num dado momento. Depois de um tempo, o Glow ficou bem mais sabonetinho. Sabe quando alguém acaba de tomar um banho gostoso e passa por você? O Glow é assim. Imagino esse perfume no calorão. Perfeito!

Curiosa pra sentir o Miami Glow, que tinha sido descontinuado e agora voltou. Mas a loja onde fui ainda não tinha o tester dele. Por ora, enfiei o Glow na minha lista de futuras aquisições. E assim vamos.

Mais do Glow aqui.


Loja virtual da L´Occitane


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off


Tô aqui pra recomendar a loja virtual da L´Occitane, que não tá me pagando nada por isso. Oi, L´Occitane, aceito algum mimo, tá?

Como o niver de mamãe se aprochega, aproveitei o comecinho da super sale que tá rolando com direito a frete free e catei o regalo em questão (sim, minha mãe me ensinou a aproveitar as boas oportunidades. rá!). Foi minha primeira compra lá e aconteceu há algumas semanas (mas, claro, esqueci de contar). O processo foi tranqüilo, recebi e-mails simpáticos da loja acerca dos status da minha compra e tudo chegou rápido e super bem embaladinho com direito a amostrinhas-delícia, ainda que repetidas (três iguais, pra ser mais exata, mas adorei, tá valendo).


A compra foi feita num sábado, paga via boleto, e numa quarta-feira minha caixinha chegou. Gostei disso! Pra quem, como eu, não tem L´Occitane por perto, achei a glória!

Só sei que rapidinho recebi minha encomenda via TotalExpress. Eu sei que tem gente que torce o nariz pra Total diante de alguns entreveros em relação a aquisições lá na Sack´s (eu era uma delas), mas constatei que a coisa melhorou bastante por parte da transportadora. E que continue assim!

Desejando: Daisy (Marc Jacobs)


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off


Não consigo conhecê-lo, mas já sei amá-lo. Tá na lista!

Update em 14/07/11: Estava na lista. Agora já está a caminho. No escuro mesmo. Post novo quando ele chegar.

Vontade de hoje: Chloé EDP (Chloé)


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off

Há tempos que só se fala nesse perfume internê a fora. Até onde sei, Chloé EDP New (há uma versão antiga, bem diferente dessa) é uma fragrância floral e fresca dominada pela rosa. Evidente que passei a desejá-lo.

A minha idéia inicial é sempre conhecer o perfume antes de partir para os finalmentes, contudo a missão é impossível, pois moro em uma pequena grande cidade carente de perfumarias. De modos que o jeito é catar logo um no escuro mesmo, o que deve rolar um dia desses.

Minha pele deseja: Loção Beatriz


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off

Minha pele tá desejosa. E ela quer a badalada Loção Beatriz, da brasileiríssima Dermatus. Tanta gente fala horrores (lê-se: super bem) desse produto, que meu lado influenciável gritou há tempos. O duro é gastar 100 dinheirinhos sem saber se vai rolar, néam? Por isso, até hoje, não criei coragem.

Bem que podiam vender frasquinhos menores (e mais baratos, evidente) pra gente provar sem culpa, néam? E olha que nem tô pedindo amostra, hein? Queria era poder comprar uma versão travel size da Bia.

Mais sobre o produto aqui.

Cafungando o Au Thé Rouge


by Vanessíssima em , ,

Comments Off

Hoje fui cafungar o Eau Parfumée Au Thé Rouge, da Bvlgari. Eu queria mesmo era conhecer o desejoso Au Thé Vert e a promessa Au Thé Blanc, mas tive que me contentar com o vermelhinho mesmo.

De pronto, senti um cheiro fortíssimo de chá escuro concentrado sem açúcar (aliás, o chá é a proposta). É como se a gente abrisse um saquinho de chá e passasse as folhas maceradas na pele, sabe? O cheiro é exótico, quente, úmido, amadeirado, picante, especiarado, por vezes perturbador. Depois ele foi se acalmando. E então senti um toquinho masculino e confortável, que me remeteu ao Presence D´une Femme, da Montblanc, sobre o qual tagarelei aqui.

Consegui sentir pimenta e figo também. E, bom, posso falar? Eu costumo não ser amiga de figo em perfumes. Sei lá, essa nota não casa com a minha pele (ou seria com o meu nariz?!). Não consegui distinguir a laranja, a bergamota e muito menos as nozes, mas elas estão lá e, creio eu, são perceptíveis para narizes bem treinados (o que não é meu caso, of course).

Em suma, achei um perfume interessante, mas para uso noturno ou em dias mais frios, apesar de ainda não saber se gostei dele em mim – em outras palavras, não sei dizer se me suportaria usando esse perfume com certa freqüência. Enfim, apesar de não ser meu estilo, é um bom perfume (evidente, desde que se adore o cheiro de chá).


Update: Mais do Au Thé Rouge aqui.


Desejando: Eau Parfumée Au Thé Vert (Bvlgari)


by Vanessíssima em , , , ,

Comments Off


Contrariando o frio que vem fazendo por aqui, bateu aquela vontade de ter um Au Thé Vert pra chamar de meu. Sim, senhoras, eu quero este cítrico aromático unissex com toques florais e de chá verde. Fresco, limpo e confortável. Afinal, o frio não é pra sempre. Não por aqui.


O detalhe é que eu nem conheço esse perfume, mas já sei que preciso dele. Sendo Bvlgari, eu confio! Rá! Falando sério, tenho forte tendência a me dar bem com as fragrâncias dessa maison.