Pagando o nariz. J´Adore.


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off


Não paguei a língua. Paguei o nariz mesmo. E não foi uma vez só. Meu olfato mutante e meu cérebro bizarro nunca me deixam esquecer que tudo muda o tempo todo no mundo [como uma onda no mar, blá blá blá]. Volúvel como uma borboleta, meu nariz passa a curtir, na velocidade da luz, fragrâncias dantes odiadas. Nem estranho mais. Já me acostumei. E acho graça. Aliás, eu até gosto disso.

Por essas e outras, aprendi a comprar perfume cafugando várias e várias vezes o dito cujo. Jamais saio da loja querendo levar um frasco pra casa de imediato. Eu preciso degustar a fragrância em dias bem distintos até eu ter certeza de que ela é meu número. E eis que o que não me servia, de repente, passa a me cair como uma luva. Foi assim com J´Adore EDP (Dior).

Não sei como pude odiá-lo. Que heresia, meldels! Justo eu, que sou mulher de florais. Taí um floral frutal tão lindo, luminoso, dourado, elegante, limpo, fresco. Eu sabia que precisava dar mais algumas chances pra ele. Eu sabia só de ver aquela propaganda em que a lindíssima Charlize Theron aparece andando feito diva e se despindo daquele ouro todo, jogando na minha cara que: “Gold is cold. Diamonds are dead. A limousine is a car. Don’t pretend. Feel what’s real. C’est ça que j’adore”. Luxo e desprendimento, baby! Pra arrematar, no fim, ela me vem com aquela pronúncia toda lânguida: “Di-ór”.

Eu tive mais certeza ainda de que precisava provar o J´Adore novamente depois de ver o novo reclame (ui, essa é do tempo do guaraná de rolha), em que as estrelíssimas Grace Kelly, Marlene Dietrich e Marilyn Monroe “contracenam” com a maravilhosa Charlize. Movida por tudo isso, lá fui eu cafungar o J´Adore de novo. E, putz, gamei. Agora eu preciso!

Tem melhores? Tem sim. Mas há dias em que tudo o que eu quero é uma boa dose de J´Adore.

Mais do
J´Adore aqui.