Archive for Outubro 2012

Desejo do ano que vem: Gold Sugar


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off



Meu ultradoce preferido atende pelo nome de Pink Sugar e pertence à Aquolina. Meu segundo dulcíssimo predileto também é da mesma grife e se chama Chocolovers. Quando soube que a casa está lançando o Gold Sugar, lágrimas de doirado açúcar escorreram em minha feliz face! Descobri que ele abre com neroli, laranja e mandarina, segue com flores, crème brûlée e coco, fechando com almíscar, sândalo e chantili. Já tô aqui salivando só de imaginar como isso tudo deve ser bão. Tomara que o mundo não acabe este ano, porque em 2013 eu quero catar um desse aí! Gold Sugar? Ai, pre-ci-so!

Trésor Midnight Roseando


by Vanessíssima em , ,

Comments Off



Acho que tô com o nariz frouxo. Só pode! Isso explica porque tenho desgostado de vários perfumes por mim cafungados nestes últimos tempos. O exemplar mais recente atende pelo nome de Trésor Midnight Rose (Lancôme). Gente, ele é um soco de açúcar cor-de-rosa! E bem na boa do estômago! Na minha pele foi assim.


Ele não é assim tãããão ruim não, viu? E posso falar? Docinho genérico, frutinha vermelha, sem profundidade, chato, enjoativo, lugar-comum, mais do mesmo e tals definem. E veja bem, eu gosto de perfumes docinhos. Mas sempre busco um algo a mais na doçura, sabe? Porque os gourmands são complicados, cara. Se você tem dois ou três, você já tem todos. É difícil encontrar alguma fragrância doce diferentona, né? São poucas.


Na teoria, TMR abre com rosa e framboesa. Vai pra jasmim, peônia, cassis e pimenta rosa. Finaliza com almíscar, cedro e baunilha. Na real, sinto frutas vermelhas doces ao cubo, um pouco de pimenta rosa e um leve toque amadeirado, tudo meio abafadinho/quentinho, super jovenzinho e enfadonho. Se eu tivesse me apaixonado por ele, reservaria o dito cujo pra dias frios. 


No mais, tenho certa resistência a frutas vermelhas. Raramente um perfume com essas notas me agrada. Minha pele gosta de ressaltar uma certa enjoatividade quando borrifo líquidos contendo as benditas. Se elas não ficam sintéticas, ficam infantis (ou as duas coisas tudo ao mesmo tempo agora). No caso do TMR, elas ficam artificiais e quase no limite entre a vida adulta e a vida loka (a.k.a. puberdade + adolescência + 20 e poucos anos).

Ai, gente, dá um desconto. Eu queria mesmo era cafungar o Trésor In Love. Mas como só achei o irmão dele, acabei descontando minha frustração no tal. Sorry. Rá! Será que foi isso?! 

Desejo do dia: Lacoste Pour Femme


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off


E lá vamos nós de novo! Agora tô querendo o Lacoste Pour Femme (Lacoste). Mais um que não conheço e desejo. Até onde sei, ele é um floral amadeirado fresco e elegante. Ele começa com pimenta, frésia e maçã. Segue com violeta, hibisco, jasmim, heliotrópio e rosa. E acaba com láudano, sândalo, incenso, cedro e camurça. De sorte que preciso desse Lagoste! Oops, Jafoste. Ok, Lacoste. 

Ô d'Azuriando


by Vanessíssima em , ,

Comments Off


Ai, como eu quis gostar do Ô d'Azur (Lancôme), viu? Ele traz tangerina siciliana, limão, pimenta rosa, rosa, peônia, ambrete, notas amadeiradas e almíscar. Sabe o que o meu nariz torto sentiu? Tangerina passada! Sabe fruta de fim de feira? Te juro! Miou tudo! Não senti a leveza prometida, nem o frescor. Pelo contrário, achei enjoativo e fiquei foi sufocada. Mas tenho certeza que é coisa de pele (e a minha é freak, cara). Não fosse essa tangerina atrevida que cismou comigo, eu teria adorado esse perfume! Enfim, achei indevido. Antes que cogitem que estive diante de um tester estragado, eu vos digo: o provador era novíssimo, acabara de ser aberto. Ainda vou tentar provar de novo. Não é possível que só euzinha aqui não tenha curtido esse perfume. Todo mundo elogia o bichinho!

Hugo XX, o sublime


by Vanessíssima em , ,

Comments Off



Outro dia me dei conta de que nunca falei aqui sobre meu adorado Hugo XX (Hugo Boss). Como pude, gentem? Esse perfume é o máximo! Faz parte do meu Top 5 e tudo!


E ele é diferente de todos os outros, viu? Esse curingão floral frutal tem brilho próprio. Ele abre com lichia, groselha negra e tangerina, segue com jasmim, rosa e arroz basmati e fecha com sândalo, âmbar e almíscar. Ou seja, começa frutalmente delicado, passa pelo floral suave e termina com um toque amadeiradinho. 


É incrível como um perfume tem a capacidade de me deixar feliz. Esse aí deixa a gente contentona da vida! Ele é alegre, solar, iluminado, charmoso, vibrante e tals. Ele vai do casual ao elegante sem fazer feio. Noto uma pegada primaveril nele.

Ele não é ousado, não é perfumão, não é bomba, nada disso. É um fresco docinho amadeiradinho feliz, mas que carrega muita atitude.

Ouso dizer que o cheiro dele tem a cor do líquido e o líquido é da cor do cheiro. Mas hein? E pode isso? Pode! Rá!

O meu é o EDT e fixa muy bien.

Ah, o Parisienne...


by Vanessíssima em , , , ,

Comments Off



Eu tenho uma vizinha imaginária muito má. Diana fica lá me tentando e eu cá salivando com os olhos esbugalhados feito zumbi comedor de cérebro. Culpa dela que agora eu PRE-CI-SO de um Parisienne (YSL) pra semana passada! Gente, como esse perfume pode ser tão lindo? Como deixei escapar uma coisa dessas? Como? Justo eu, fãzaça de rosa (a flor, não a cor)!


Pense numa diurna água de rosas azedinha que traz, ao mesmo tempo, um tiquinho de cremosidade. Pense em cheiro de conforto, de banho, de limpeza, de elegância. Imaginem uma fragrância jovem, delicada, fresca, romântica, inofensiva, sutil com presença (sim, isso é possível!) e ensolarada. Pinte aí no seu delicioso cérebro (meu lado zumbi, sorry) um perfume que te faz sorrir, que te passa uma energia boa, uma vontade de viver a vida. Taí esse querido!


E olha que ele tem uma nota que me faz tremer na base: violeta. Mas, graças, ela não toma a frente da fragrância. Não na minha pele. É claro que o perfume ficaria melhor sem ela (não vou negar prontofalei), mas sobrevivo. Até porque todas as notas cantam praticamente juntas, afinadinhas. Estão lá cranberry, amora, rosa damascena (venero!), violeta (ela!), peônia, vetiver, almíscar, sândalo e patchouli (outra nota problema pra mim, mas que, ufa, surge sutilmente aqui). Porém, é a rosa que ganha destaque e, junto com as frutas vermelhas, ela resulta em algo lindíssimo bem na vibe floral frutal. E fixa, viu? Em mim grudou legal!


Curioso que jamais provaria Parisienne por conta própria. Não depois de saber que ele tem duas notinhas complicadas pra mim (violeta e patchouli, como você já deve ter percebido). Mas criei coragem e fui (né, Diana?). E que grata surpresa! Para moças de fino trato.


PS: Dois Ivi São Lorrão na seqüência aqui no blog, hein? Não foi proposital. Juro!

Cafungada: Belle D´Opium (YSL)


by Vanessíssima em , ,

Comments Off



Incenso suuuuuper canforado do começo ao fim, eis como basicamente Belle D´Opium se comportou na minha pele. É, senhoras, esse Ivi São Lorrão não rolou. 


Adoro um incenso, mas não suporto nada canforado. Pior de tudo é que verto lágrimas de ódio porque minha querida pele tem a audácia de ressaltar di cum força a tal nota. Sempre e sempre! De modo que é escutar a palavrinha “canforado” e correr léguas de distância.


Queria sentir incenso, flores, frutas e tal, mas não. Só vieram linearmente o incenso e, elevada à enésima potência, a coisa aí que não ouso mais dizer o nome. Pra não falar que ficou só nisso, senti um bem pouquinho de tabaco, uma doçurinha discreta e outro tico de amadeirado, mas a nota proibitiva aí tomou conta do meu ser. E, gente, essa cousa fixou, viu? E como! Nem no banho eu me livrei da nota mardita. Na fila da desgraça, eu passei dez vezes.


Mas não desisti desse perfume não. Essa foi apenas e tão somente minha primeira impressão. Quero cafungar o bichinho novamente. Qualquer novidade eu berro aqui.

Pelo frasco: Freak (Illamasqua)


by Vanessíssima em , , , ,

Comments Off


Do tipo que bate querência só pelo frasco (clica aí na imagem que ela amplia). Unissex, dizem que não faz jus à campanha e que começa com cheiro de pós-barba e depois segue floral, nada freak. Ele vem com ópio, artemísia, beladona, peniocereus (cacto, povo!), datura, cicuta (uia!), incenso, mirra e agarwood. Desejo! Tô de olho naquele caramujo fófis, isso sim!

Desejo dia dia: Green Tea Lotus (Elizabeth Arden)


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off


Agora eu quero essa versão aí do meu pimpão Green Tea. O Lotus vem com ameixa japonesa, flor de cerejeira, yuzu, mandarina, flor de lótus, chá verde, aglaia, osmanthus, jasmim, almíscar e bétulas brancas.

Desejo dia: F80 - Flat Kabuki (Sigma)


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off


Lindinho esse pincel, né? Desejo! Para aplicar base/bb cream e afins na cara. Dizem que ele é o que há!

Desejo do dia: Forever And Ever (Dior)


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off


Desejando esse floral fresco que traz frésia, jasmim e rosa da Bulgária. Conheço não, mas preciso! Monsieur Dior, uh lá lá!

Prada Candy: idas e vindas


by Vanessíssima em , , , ,

Comments Off


Já quis e desquis o Prada Candy (Prada) tanto quanto você possa imaginar (você sabe, você leu aqui). Ele entra e sai da minha lista de desejos como a gente troca de roupa, sabe? Detalhe que até o presente momento não o cafunguei. Mas sei que ele é um oriental abaunilhado e traz almíscar, benjoim e caramelo. De modo que venho por meia desta comunicar que voltei a querer o dito cujo e ponto final. Ou eu compro esse perfume, ou terei uma arritmia cardíaca severa, viu? Chega de enrolação! Em 2013 ele virá!

GreenTeando


by Vanessíssima em , ,

Comments Off



Tô gamadinha no Green Tea (Elizabeth Arden), meu povo! Esse baratinho me é muito caro. Temos nele frescor, delicadeza, conforto e simplicidade, coisas que merecemos em dias tórridos e loucos. Taí um sopro de paz! 


Mas deixa eu falar, ele é um cítrico aromático, viu? E eu, que torcia o nariz para os cítricos, estou contentona com meu Green Tea! O dito cujo traz ruibarbo, hortelã, casca de laranja, bergamota e limão na saída. Cravo, musk, jasmim, musgo do carvalho, âmbar branco e funcho surgem em seguida. Cominho, chá verde e sementes de aipo aparecem depois. Isso tudo na teoria. Na prática a coisa é outra.


Na minha pele, noto uma saidinha levemente cítrica adornada pelo limão, que dá lugar a uma singela xícara de chá verde. Junto com elas, sinto uma leve lufadinha docinha (coisa pouca mesmo, apenas o suficiente pra abrandar a alma).


Extremamente mimoso, pode-se tomar banho de Green de Tea sem medo, sem dó, sem parcimônia. Não se fica over com ele. Jamais! Nada de dores de cabeça, engulhos ou afins.  


Lindo, calmo, relaxante, equilibrado, contemplativo e intimista definem. Em suma, um cítrico que acalma, que te deixa com sorriso de Buda.

Vontadíssima: Diorissimo


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off