Parfum D´Étéando


by Vanessíssima em , ,

Comments Off

É possível um perfume ser cremoso e fresco ao mesmo tempo? Na minha cabeça/pele é. Parfum D´Été (Kenzo) é assim. Aliás, foi. Infelizmente essa coisa linda não é mais produzida. Com sorte se acha um frasco dando sopa por aí (às destemidas: tem na Fragrancex, de onde veio o meu após meu retorno triunfal à loja).

Mas deixa eu explicar uma coisa: Parfum D´Été foi originalmente lançado em 1992 e relançado dez anos depois. A primeira versão é diferente nos aspectos visual e olfativo, ok? O objeto deste post é, portanto, a fragrância nascida em 2002, beleza?

E, bão, daí que eu não sou pessoa de cair no conto do marketing, mas acho válido reproduzir as palavras oficiais divulgadas pela turminha do let´s make money. Seguem:

O verão em uma fragrância.
Kenzo cria uma fragrância lúdica e radiosa, para que a brisa do verão possa ser sentida durante o ano todo.
Ver a vida com leveza. Perfumar-se. Deitar-se na relva, sonhar e seguir o seu ideal de felicidade.

Leve, luminosa, sensual.
A fragrância é trabalhada para nos transportar na beleza das suas primeiras notas. Sem acorde de cabeça, mas com uma construção nova, direta, que exala imediatamente a suavidade leve e sofisticada de Parfum D'Été. 
Um perfume nobre, sem concessão, construído com matérias-primas de qualidade, totalmente fiel aos seus aromas de origem. 
As flores, o verde. 

Começo fresco: folha de lírio-do-vale
Coração floral: peônia, jasmim, jacinto
Fundo terno: sândalo, almíscares brancos

Fecha aspas. E posso falar? Confesso que não tinha lido o texto de divulgação até ir atrás dele pra escrever este post. Eu só saio em busca dessas coisas quando tô aqui sentadinha escrevendo. Não leio antes porque 1. quase sempre é tudo de uma besteira ingênua; 2. não quero influenciar os meus achismos. E, gente, não é que tudo isso aí em itálico se encaixa muito bem na fragrância?

Sendo Parfum D´Été um floral verde, já sabemos o que esperar, né? Acontece que ele é mais! Na real, esse perfume é todo trabalhado nas flores brancas cremosas, frescas e úmidas com folhas verdes. E como ele é sereno, colega! Ele é de uma paz encantadora, viu?

Noto uma certa doçura carinhosa nele. O jasmim é bastante perceptível ao meu nariz e me remete ao Beauty (Calvin Klein). Bem no fundinho eu noto um toquinho herbal e amadeirado, mas é coisa leve. Aliás, Parfum D´Été é todo leve, de um equilíbrio zen, sabe como? 

De fato, não se distinguem notas de topo, de corpo e de base. Esse perfume não evolui assim. Ele é um linear vivo que vai se aquietando gradualmente com o passar do tempo, mas tá tudo sempre lá, do começo ao fim. Um dos perfumes mais sinceros que já conheci. Bonito mesmo.

Achei covardia pura descontinuarem o dito cujo. E eu juro que não entendo por que os florais verdinhos não fazem o sucesso que merecem, principalmente cá por estas bandas tropicais.

In memoriam.