Não é perfume, mas é legal


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off


Lembra que eu falei aqui que tava botando querência na Tangle Teezer, né? Então, fui lá na Feelunique e catei uma pra mim. Paguei pra ver! Mirei na black Original [foto] porque black is beautiful. E aí que ela chegou. E eu usei. E eu morri. E eu ressuscitei. E usei de novo. E morri outra vez. E voltei pra contar.

Tem mandinga na escova, meu povo! Como pode um negócio tão simplesinho ser assim tão super-hyper-duper-uber-ultra-mega-fucking supimpa?

Não é segredo que tenho cabelo cacheado, longo, volumoso e cheio de luzes em todos os tons de loiro do universo. O resultado disso eu sinto (sentia! rá!) na hora de lavar a cachola: fios embaraçados até a medula! Tempo (muito tempo) e braço (muito braço) me eram essenciais no mister. Terminava a lavagem com dor no braço, na mão, no pescoço, na cabeça e na consciência. Meu pente, tadinho, sofreu tanto que ficou com escoliose. Te juro!

De modos que a Tangle Teezer mudou a minha a vida! O que demorava meia hora (opa, tudo isso!) agora leva, sei lá, uns 2 minutinhos. Sim, só isso. Nem preciso ficar passando a escova trocentas vezes no mesmo lugar, sabe? Umas duas passadinhas, como se eu estivesse penteando o cabelo, fazem o serviço. E que serviço maravilhoso! Não sei como funciona. Só sei que funciona. 

Uso a Tangle Teezer apenas nos cabelos molhados. Quem tem cachos precisa levar essa lição pra vida! Não se penteia cabelo seco, beleza? Eu lanço mão da escovinha miraculosa pra espalhar a máscara de hidratação, o condicionador e o leave-in, tudo sempre no cabelo molhado. Depois do leave-in eu amasso os cachos com uma camiseta véia de algodão e vou pra pista. Quando seca, faço meu bate-cabelo, amasso tudo com as mãos e fim.

Só sei que o impossível é a minha realidade hoje. Vou fundar uma igreja pra essa escova. Ah, se vou! Igreja do Sagrado Cabelão Tangle Teezer. Quem me acompanha?