Archive for Julho 2013

Nina fantasiado


by Vanessíssima em ,

Comments Off

Imagina a minha cara de cão babão quando vi o tester do Nina Fantasy (Nina Ricci) na minha frente. Opa, meu pastor-alemão diante do saco de Biscrok perde. Há tempos botei desejo de ter esse perfuminho, mas li tantas opiniões contraditórias, que preferi não arriscar uma compra no escuro. Já tinha até desistido dele quando topei com o dito cujo numa lojinha cá por estas bandas. E que frasco mais lindinho! Super bem feitinho, com carinha de porcelana pintada à mão, todo mimoso. Pois bem, provei. E? Me decepcionei!

Floral frutal, ele vem com bergamota, tangerina siciliana e pêra na saída. As notas de coração são heliotrópio, rosa e flor de cerejeira. Mate, baunilha e cana-de-açúcar aparecem na base.

Do tipo “soy docinho, las niñas me amam, pero no comprometo”, Nina Fantasy é mais um flanker dispensável pra quem tem bala na agulha.

Te juro que senti cheiro de mexerica passada logo que borrifei o dito cujo. Marido foi mais pimpão e polemizou, dizendo que a maçãzinha era tale e quale um mata-formiga que a gente teve certa vez quando se viu em meio ao apocalipse. Tenho cá comigo que ele não soube interpretar o combo tangerina/pêra/açúcar. Só isso. Questão de interpretação mesmo. 

Ok, falando sério, Nina Fantasy é mais um frutal docinho lugar-comum com fixação pequenininha. Infantil e ingênuo, ele é um tanto quanto suave pras adoradoras de açúcar e demasiado doce pra quem não curte gordices líquidas. É, Houston, temos um problema.

O bonito aí não ficou mais do que bergamota docinha em mim. Tá, senti pêra também, mas foi um quase nada. As flores não deram as caras na minha pele. O mate, bom, cadê ele? Deve ter sido aquele fundinho estranho que ficou na minha pele depois de umas 3 horas. Baunilha e cana-de-açúcar? Ok, confere. 

Só sei que não vale o preço nem aqui e nem na Ninalândia! É evidente que se ele tivesse ficado legal em mim, cataria numa nice, assim como muita gente fez e vive feliz até hoje.

Aliás, ele não tem nada a ver com o Nina original, viu? Falando nisso, tô devendo uma resenha completa dele. Um dia sai. Prometo.

Bão, sou mais o Nina sem fantasia mesmo.

Recadinho


by Vanessíssima

Comments Off

Fui ali e volto logo, assim que a gripe passar. Meu nariz não pensa quando tá entupidaço.

Veneno Puro


by Vanessíssima em ,

Comments Off


Ai, gente, se chover canivete e a vaca tossir a culpa não é minha, tá? Finalmente catei meu tão desejado Pure Poison (Dior)! Uhu! Ok, podem parar com os rojões. Botei tanta querência nesse dito, mas tanta, que só quem acompanhou minha saga entende o drama do negócio todo. E foi um tal de provar o benedito e não levar, testar o Intimately Beckham, querer o Jesus Del Pozo In White e o escambau a quatro. 

Tá, mas nem tudo são flores de laranjeira e jasmim. Enrolei tanto pra botar os dedos num, que me acabou sobrando a versão reformulada dele. Sim, a Dior alterou a poção mágica em 2011. E posso falar? Pure Poison (vulgo PP) continua uma maravilha! O que era fenomenal ficou ótimo, saca?

Eu já linkei ali em cima a resenha do antigão. Clica lá e lê o que aquela versão representa pra minha pessoa. Depois volta aqui pra viajar comigo no novo PP. Anda, vai lá que eu te espero!

Bão, pra começar, PP tá menos venenoso. Ele vem agora mais leve (ou menos pesado), mais suave e delicado. Opa, amansaram a fera que usa flor na cabeça! Digamos, com uma certa licencinha poética, que temos hoje um Pure Poison L´Eau

Ainda é necessário idolatrar os florais brancos pra encarar o PP, viu? Ele continua floridaço, só que mais domesticado. A diferença é que aquela saída mega power de jasmim cítrico sumiu. O que se tem ao borrifá-lo agora é o coração do antigo Pure Poison, porém mais fresco, numa versão colinho de vó. Lá estão as lindas e cremosas flores de laranjeira, um toque mimoso de gardênia e um pouco, beeeem pouco, dos citrinos dantes. 

PP tá mais adocicado também, mas sem cair no lugar-comum, ok? Ele não é um perfume doce. É floral. No final da evolução, o bicho vira um amadeirado quase gustativo with flowers avec elegância. Cousa de doido!

Acho que nem preciso comentar que a projeção despencou, né? Agora quase rente à pele, PP também não fixa taaaaanto quanto antes, mas gruda até que razoavelmente bem.

O legal é que ele vem mais usável, sabe? Não preciso rezar pra fazer um super frio pra borrifar gotículas de my baby. Consigo ser feliz sentando o dedo no spray em temperaturas mais altas (mas não tanto – não vamos exagerar e tomar banho de PP sob o sol de 40ºC, ok? grata).

Eu sei que os mais puristas sentirão a nova versão e terão reservas. Mas quem tinha medo desse perfume e ficava num vai-não-vai pode curtir a vibe atual sim. Eu amei. Com força!

PS: Na nova versão a tampa é escura [vide foto deste post]. Na antiga ela era branquinha.

Cologne Du 68


by Vanessíssima em ,

Comments Off


Sabe um desbunde? Então, a Cologne Du 68 (Guerlain) é assim. Deslumbramento puro! Coisa mais linda, viu? Srta. Anjos me paga por ter me atiçado as lombriga tudo.

A pessoa aqui é fã de carteirinha da Guerlain, do tipo que levaria o guerlinade pra uma ilha deserta, saca? Imagina a minha cara de felicidade quando provei a Cologne Du 68 e entrei numa viagem sem volta.

Cada pedacinho de mim foi parar nos 68 ingredientes que fazem parte da composição. A saber [respira fundo e vai!]: bergamota, mandarina verde, limão, clementina, cidra, laranja, laranja sanguínea, lima-da-pérsia, folha de grapefruit, manjericão, erva-doce, anis, lavanda, louro, cipreste, elemi, tomilho, murta, petitgrain amargo, petitgrain de mandarina, petitgrein de limoeiro, pêra, folha de violeta, hera, genciana, seiva, cassis, frésia, lírio-do-vale, folha de aveleira, ciclâmen, cardamomo, coentro, pimenta preta, pimenta rosa, noz-moscada, gengibre, frangipani, magnólia, flor de laranjeira, peônia, rosa, cravo, ylang-ylang, lichia, figo, amora silvestre, sempre-viva, lentisco, opoponax, âmbar, benjoim, baunilha, cistus, heliotrópio, íris, fava tonka, sálvia, almíscar, patchouli, agarwood, cedro, sândalo, vetiver, musk vegetal, pralinê, mirra e líquen. 

Ufa, néam? Coisa à beça, não? E não parece que a coisa toda vai desandar? Só que não. Não mesmo. Sem chance.

Cologne Du 68 é um cítrico aromático sem igual. Unissex e camaleônico, ele muda conforme o vento, que te leva pra mares nunca dantes navegados. Limpo, neutro, suave, confortabilíssimo, versátil, adorável, de uma chiquetosidade ímpar. 

Impossível de descrever, dada a quantidade incrível de notas diferentes que dançam conforme a música. Esse perfume congrega nuanças cítricas, herbais, temperadas, verdes, florais e amadeiradas, tudo ao mesmo tempo agora, mas de uma maneira delicada and acolhedora, por vezes docinha e divinamente atalcada (opa, lá está meu guerlinade do coração, o acorde que tanto amo, o cartão de visitas da Guerlain).

Nada do que você lerá sobre ele vai te transportar pra um décimo do que esse cheiro é de fato. Cologne Du 68 é do tipo que entrega uma fragrância diferente em cada borrifada e cumpre a promessa de te levar de mala e cuia pra umas férias de verão no mar da Córsega. Coisa rara, viu? Em todos os sentidos. Achou algum dando sopa por aí? Abraça logo, colega!

Comprando, usando e guardando


by Vanessíssima em , ,

Comments Off


Nem todo mundo que me lê é gato escaldado quando o assunto é perfume. Por isso, trabalhada no gerundismo, resolvi compilar algumas dicas básicas acerca de. São coisitas que sigo, sua vizinha segue, seu primo segue, quiçá Obama segue (ou passará a seguir agora, se que é você me entende). Bora lá!

Comprando

Na internê

Primeira dica: pesquise o preço! Quando terminar a pesquisa, pesquise de novo. E de novo. Se for catar fora, considere uns dois meses de espera e bote na ponta do lápis a mordida da Receita (60% do valor da compra, incluindo o frete) e o ICMS (caso a cobrança vigore no seu Estado). Não ser tributado é luxo. A regra é clara e tá aqui pra quem quiser ver. Vindo de Pessoa Jurídica, seu perfume pode sim ser taxado, independente de quanto você pagou por ele. No mais, aqui tem um post onde eu conto em quais lojinhas costumo passar meu cartão.

In loco

Vai se munir de coragem e encarar uma loja física? Então vai com calma. A pessoa que vos escreve polemiza acha que aquelas fitinhas de papel que as vendedoras amam não merecem um pingo de Dior. Na boa, perfume é um lance de pele. É por isso que ele vai direto no meu pulso. Provo dois por vez pra não endoidecer. Cafungada matadora é assim: duas inspirações curtas e rápidas. Embananou-se com os cheiros? Enfia o nariz na sua blusa e respira fundo. Pronto, agora você pode voltar a cafungar a fragrância em questãn. Borrifou? Vai passear, dá uma volta, escuta o perfume, repara na evolução, cheira o pulso a cada 10 minutos feito persona doida, veja se o conjunto da obra te apetece. Só depois de umas três horas volta na loja e responda a clássica pergunta “débito ou crédito?”.

Usando

Tá, é clichê, eu sei, mas a máxima da amiga Coco Chanel é sempre uma boa pedida: borrife seu perfume onde você quer levar algumas beijocas. Ok, não foi exatamente isso que ela disse, mas foi por aí. Eu confesso que não sou lá muito fã de bitoca nos pulsos, mas borrifo por ali (sem esfregar). Também borrifo na dobra interna dos braços, atrás das orelhas, detrás dos joelhos e na nuca (quando prendo o cabelón). Já tentei passar no colo, mas fiquei com uma coceira do cão e desisti. É evidente que não borrifo em todos esses lugares sempre. Na real, o segredo é aplicar o cheiroso em uns três pontos estratégicos e ir pra pista. Particularmente, me entrego de corpo e alma ao perfume, por isso acredito piamente que as minhas roupas também merecem um agrado. De sorte que, dos pulsos, saio carimbando minhas roupitchas num loop infinito. 

E existe um esporte maroto que pode ser praticado por quem é fã dos super marcantes. Basta apontar o frasco pra cima, dar umas duas borrifadas no ar, contar um e dois e passar por baixo. Pronto, você evoluiu bonito e fez a nuvem! Só não se esqueça de fechar os olhos na hora do passinho pra frente (a idiota aqui já se esqueceu e, sim, sobreviveu pra contar). Admito que não uso mais essa metodologia. Fico agoniada ao perfumar o ar (acho desperdício de perfume). Quando uso um bonito mais magnânimo, dou uma micro borrifada em cada pulso e saio encostando nas minhas roupas.

Guardando

Quando vejo frascos de perfumes expostos na pia do banheiro dozotro pego minha metralhadora imaginária e saio barbarizando tudo, cara. Na boa, o estrago é o mesmo. Perfume fora da casinha é crime inafiançável! Pra durar e fazer bonito, os frascos devem, precisam, necessitam estar guardadinhos na caixa original, longe de luz, umidade e calor. Simples assim. Complicar pra quê? Quer decorar a casa? Compra uns vasinhos, umas estatuazinhas, sei lá. Só não me usa perfume. Os meus queridos ficam todos aninhados dentro do guarda-roupa (alocado estrategicamente numa parede onde não bate sol nem pelo lado de fora). 

E, please, não acredite nessa coisa toda de “perfume tem data de validade”, ok? Se bem guardadinho, ele pode durar anos e anos e anos. A data impressa na embalagem das fragrâncias é mera formalidade by Anvisa (é por isso que você não encontra data nenhuma nos bonitos catados fora da dilmalândia, botou reparo?). Perfume estragado te avisa: o cheiro fica horrível, rançoso, uma eca.

No mais, aqui também tem algumas dicas matadoras (#uisoumodesta). E neste post aqui eu conto as vantagens de se adquirir amostras e miniaturas.

Faltou alguma coisa? Bota da roda e ajuda quem tá chegando agora! Não concorda com algo? Mete bronca (com classe, por favor)!

Eau de Nerd


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off

De nerd eu só tenho os óculos (grandes, com aro preto, tipo assim), que a minha miopia agradece. E agora posso ter o perfume. Opa, como não? Saca só neste link aqui óh

O feminino, nerd xx, tem jasmim e cravo. O masculino, nerd xy, vem com notas amadeiradas, florais e hortelã. 

Cada frasco de 60 ml sai por 31,41 obamas. Uma amostrinha (sim, trabalhamos!) de 3,3 ml custa 6,28 tios-sans. Botou reparo que os preços são múltiplos de Pi, oi? E não deixe de ler a descrição deles lá no site, viu?
O bacana é que a marca valoriza os nerds brazucas ricos e entrega cá no Brasil. Enfiei uma amostrinha de cada no carrinho e desisti da compra depois de bater o zóio no frete (25 quatro-de-julho por 6,6 emiéles! não, néam?).

O jeito é me contentar com os meus óculos mesmo. E com o Pi (Givenchy). Rá!

Desejo do dia: Jesus Del Pozo In White


by Vanessíssima em , ,

Comments Off

No momento em que escrevo este post, 206 narizes do Fragrantica acham que esse perfume se parece com o lindo Pure Poison (Dior). Sem mais.

PS: Eu devia criar vergonha na cara e catar logo um Pure Poison pra mim, néam?

Crème de la crème


by Vanessíssima em ,

Comments Off


Um dos perfumes que mais penei na vida pra adquirir foi o finado Tutti Dolci Crème Brûlée (Bath & Body Works). Cheguei a choramingar acerca do meu desespero aqui. Pois bem, o fato é que querer é poder e, pouco tempo depois que aquele texto foi pro ar, acabei conseguindo um frasquinho (viva o ebay!).

E é chegada a hora de esmiuçar a fragrância. Opa, antes tarde do que nunca!

Pra começar, é de bom tom explicar aos desavisados que crème brûlée ("creme queimado" em francês) é uma sobremesa que consiste num creme feito com gema de ovos, baunilha, creme de leite e açúcar, e que possui uma crostinha marota de açúcar queimado por cima de tudo. O crème brûlée é servido gelado e a quem interessar possa, a receita dele tá aqui (nunca testei/fiz/comi, ok?).

Dito isso, preciso salientar que rodei a internê feito barata tonta atrás das notas oficiais do ex-perfume da Bath & Body Works, mas encontrei foi é nada (malemá achei uma foto decente dele, como você pode ver, néam?).

Guiada pelos ingredientes da famosa sobremesa francesa que dá nome à fragrância, e também pelo meu próprio nariz maluco-beleza, imagino que Tutti Dolci Crème Brûlée contenha açúcar caramelizado queimado, baunilha e creme de leite. Na real, é isso que eu consigo sentir do começo ao fim. A coisa toda é bem linear. E bem doce, óbvio. Taí um perfume pra quem curte açúcar sem culpa!

Quase intoxicante, ele é encorpado, quente e indiscreto. Tem rastro portentoso, fixação absurda e um toque de cevada/malte que parece ter vindo do além (e eu não sou a única pessoa a notar isso, viu?). Se essa nota me incomoda? Não, nadinha. Acho exótico and legal.

No mais, lamento até hoje a descontinuação da turma Tutti Dolci, viu? Se não me engano a Bath & Body Works produziu o pessoal por pouco tempo e até 2007 mais ou menos (sim, faz tempo). E tinha de um tudo: EDT, hidratante, gloss... Cheguei a conhecer outros cheiros da linha (a saber: Sugar Wafer e Lemon Meringue) e posso dizer que eram de se comer de colher! 

Cê Ká Um


by Vanessíssima em ,

Comments Off


Falar sobre o CK One (Calvin Klein) quando tudo já foi dito sobre ele é chover no molhado. Como eu sou bestinha and atrevida, lá vou eu!

Cítrico aromático para homens e mulheres, CK One é o símbolo máximo dos anos 90. Considerado um divisor de águas (ou melhor, de fragrâncias), esse perfume definiu por muito tempo o que era ser jovem, sexy and livre.

Lançado em 1994, ele marcou época pelo seu minimalismo, frescor, contemporaneidade e androginia, coisas até então pouco difundidas na perfumaria. Senhorita Kate Moss, do alto de seus 18 aninhos, estampava a campanha que eu tanto via na contracapa da revista Capricho daquele tempo (fui assinante, então imagina o tanto de Kate Moss que eu vi).

E o sucesso de Cê Ká Um foi tamanho, que abriu passagem pra toda uma profusão de flankers (contei 19 no total), de crias calcadas na limpeza (vide Acqua de Giò, de Giorgio Armani, por exemplo) e cópias, oops, inspirações (vide Insensatez, d’O Boticário).

Campeão de vendas até hoje, ele se mantém firme e forte como o presente oficial de Dia dos Namorados (possivelmente por ser “acessível, universal e fácil”, segundo a marca). Opa, na perfumaria aqui da esquina não havia sobrado um frasco sequer pra contar história no dia 12 de junho (fui checar pessoalmente e me disseram que venderam todos os exemplares do estoque em função da data comercial especial, e que isso se repete todos os anos).

Enfim, o atemporal CK One é abacaxi, notas verdes, mandarina, mamão, bergamota, cardamomo, limão, noz-moscada, violeta, raiz de lírio, jasmim, lírio-do-vale, rosa, sândalo, âmbar, musk, cedro e musgo de carvalho.

O que se sente é um chá refrescante com toques cítricos e florais, tudo bem transparente, leve, clean, aquático, sem frescura e com um pezinho no cromossomo Y (em tempos atuais de fragrâncias femininas mais florais e docinhas é o temos sim e ponto final). 

Super dia (e dia-a-dia), eau de verão and urbano, CK One é tão limpo, mas tão limpo, que chega a me irritar às vezes, sabia? É, sou sujinha. #prontofalei Mas, pra quem curte a vibe limpeza, ele faz bonito.

Desejo do dia: Roses De Chloé


by Vanessíssima em ,

Comments Off


Rá que eu quero esse bonito! Irmãozinho do meu idolatrado Chloé Rose Edition (falado aqui).

Bergamota, rosa damascena, magnólia, almíscar branco e âmbar integram esse super lançamento by Chloé te amo.

Preciso. Pra ontem. Sem mais.