Archive for Agosto 2013

Tenho amor


by Vanessíssima em ,

Comments Off


Já falei aqui sobre as minhas notas odientas. Agora é hora de fazer juras de amor às queridas. Gosto tanto delas na perfumaria, viu? Quando elas se fazem presentes, compro o frasco praticamente de olhos fechados.

Íris
Idolatro o toque atalcado que ela confere aos perfumes. A íris mais bonita eu sempre encontro nas fragrâncias da Guerlain.

Rosa búlgara
Não sou pessoa de qualquer rosa não (apesar de curtir todas elas com força). Meu negócio mesmo é a rosa búlgara, também conhecida como rosa damascena, rosa turca, rosa taif e rosa centifolia. Venero o aroma delicado dela. Uma das rosas búlgaras mais lindas que há tá lá no J´adore (Dior). Forever and Ever (Dior) é outro desbunde no quesito. E dá-lhe Dior!

Baunilha
Como não amar essa doçura? Sou fã. E defendo o uso da baunilha em dias quentes, desde que seja a baunilha certa, como a do Vanille Bourbon (Laurence Dumont).

Lavanda
Lavandinha acalma, relaxa e transcende. Meu eau de pijama é todo trabalhado nela. A saber: Ma Chérie (O Boticário).

Amêndoa
Acho linda. Acho chique. Acho tudo de bom a super amêndoa do Hypnotic Poison (Dior). A do finado Eclix (La Perla) também era uma cousa de doido.

Gardênia
Eita florzinha linda e cheirosa! Cremosa, aconchegante. Marc Jacobs Perfume for Women (Marc Jacobs), te dedico!

Incenso
Adoro, apesar de usar menos do que eu gostaria (acho que precisa de clima certo pra ele). O incenso mais poético encontrei no Flower By Kenzo Essentielle (Kenzo).

Madeiras
Gosto muito de brisas amadeiradas, porém com uma pegada mais feminina. A do Pi (Givenchy) é belíssima, mesmo coberta de doçura e tendo sido feita para os moços. As nuanças amadeiradas do Noa (Cacharel), do Hugo XX (Hugo Boss), do Infusion D´Iris (Prada) e do Lacoste Pour Femme (Lacoste) também me agradam muito, apesar da mescla com o floral.

Já falei aqui no blog sobre todos os perfumes listados. Só dar uma busca na caixinha que tá ali em cima, do lado direito.

Agora me diz quais são suas notas de coração! Rá! É, você não é perfume, mas tem notas de coração que eu sei.

La Vie não é sempre bela


by Vanessíssima em ,

Comments Off

Calma, você não tá diante de um momento deprê. Bão, talvez esteja. Fui lá cafungar o La Vie Est Belle (Lancôme) e, ai, ai, gostei não. Como fazer a resenha dele então? Não sei. Vou tentar. Vejamos o que sai. E não me mate, ok? Só porque eu não curti o binito não quer dizer que ele é ruim. Repita comigo: não existe perfume ruim. Grata.

Meu nariz entende que La Vie Est Belle é apenas mais um floral frutal gourmand pra meninas crescidas. Parecido com tantos outros que existem por aí, na vibe da moda e tal.

E verdade seja dita: ele tem feito bastante sucesso. É, esse perfume pegou em cheio narizes ávidos por frutais docinhos avec elegance. 

Tenho cá muita complicância com frutas silvestres docinhas with patchouli. Juro que tentei curtir essa brisa, mas não rolou. Sendo La Vie Est Belle um exemplar da estirpe em questãn, vem daí meu desgostosamento com ele.

A Vida É Bela abre com groselha preta e pêra. Segue com íris, jasmim e flor de laranjeira. E termina com patchouli, fava tonka, baunilha e pralinê. E tem uma baita fixação, viu? Baita meeeesmo! Passei em minha pessoa por volta das 13h e ainda podia senti-lo às 22h, quando me joguei debaixo do chuveiro.

Cá entre nós, La Vie Est Belle conversa comigo de um jeito meio over, preenchendo todo o espaço sideral. Doce, doce e doce, porém adulto. 

Minha pele ressaltou di cum força a groselha azedinha matadora, o trio dulcíssimo tonka-baunilha-pralinê e o patchouli ardidinho chiquetoso. Senti também uma nota de violeta do além (já que a flor não aparece na composição), que me incomodou muito (não preciso ficar repetindo sempre que não gosto de violeta, néam?). 

Senti falta da pêra suculenta, da íris talquinho, do jasmim cremoso, da flor de laranjeira delicada e da promessa da Lancôme de me vender felicidade líquida. Pois é, nada disso bateu ponto em mim.

Enfim, La Vie Est Belle ficou praticamente linear na minha pele. Digo “praticamente” porque na saída ele me remeteu ao Flowerbomb (Viktor & Rolf) e, na seqüência, ao Miss Dior Chérie (Dior) antigo. A assinatura da Lancôme tá lá também, claro (é uma notinha que não consigo decifrar, mas que me aparece em todos os perfumes da casa e que, veja só, me incomoda - sou chata, me deixa! rá!). 

É, não será dessa vez que terei um Lancôme em casa, viu? 

Ok, ok, eu paro. Questãn de pele, meu povo. Questãn de pele. 

Top 3: perfumes com limão


by Vanessíssima em ,

Comments Off

Sei lá o que me deu na cabeça pra fazer o top 3 do limão, viu? Só sei que foi assim:





1. Eau de Shalimar (Guerlain)
Limão com talco. Eau de Shalimão define. Como eu já vociferei um zilhão de vezes, eis meu perfume-metade. Falei dele aqui.









2. Eau Du Désir (Lolita Lempicka)
O limão mais equilibrado do mundo. Dito aqui.








3. I Love Love (Moschino)
Chá de limão. Falei aqui.

Vamos falar do Hypnotic Poison?


by Vanessíssima em ,

Comments Off

É, eu demorei pra falar sobre o Hypnotic Poison (vulgo HP) porque, na boa, não sabia o que fazer diante das inúmeras reformulações que a Dona Dior vem insistindo em jogar no mercado. Parece que a cada ano (desde que esse perfume começou a ser alvo de reformulação), ele se torna mais e mais aguado, bem distante do que foi um dia. Sim, ele foi reformulado. E não apenas uma vez! Pelo que andei pesquisando, a primeira reformulação data de 2010 (quando a caixinha e o frasco já vieram diferentes) e a segunda de 2011 (quando a caixa, o frasco e a tampa mudaram). Há quem diga que em 2012 ele mudou de novo. Enfim, como lidar? 

Pois bem, a minha versão é a Collector [foto], uma edição limitada lançada em janeiro de 2008 para o Valentine's Day, com frasco diferentinho de 40 emiéles. Não, não eu comprei esse mimoso por causa disso. Pedi pra um amigo que tava morando em Paris catar um HP pra mim e ele me catou esse aí. Só muda o frasco; a fragrância é a mesma da primeira leva (lançada em 1998) – antes, portanto, desse mundaréu de reformulação. 

Como ainda é possível encontrar a primeira versão nos ebays da vida, é dela que eu vou falar, já que é a que eu (raramente) uso. 

As notas de saída do HP são damasco, ameixa e coco. Tuberosa, jasmim, lírio-do-vale, rosa, pau-brasil e alcarávia são o coração. Já as notas de fundo englobam sândalo, amêndoa, baunilha e almíscar.

Enfim, eis uma bombinha atômica com cheiro de baunilha adultíssima e um tanto quando abafada pra lá de boa. Pra usar em doses homeopáticas em temperaturas gélidas. 

Poderosíssimo, noturno, elegante, amêndoa fortíssima, baunilhona medicinal, cheiro avassalador que gruda pra sempre e chega antes de mim no ambiente. Quase nem uso o meu por isso. Mesmo no frio ele me incomoda às vezes. Mas que ele é um senhor perfume, ah, ele é. Com P maiúsculo. Tá, não é mais. Ele foi. Por este motivo, vou parando por aqui.

Ainda não provei nenhuma reformulação e confesso que tô curiosa. Os relatos são desanimadores. A bomba minguou, contam. É, HP perdeu a potência (é impotente agora, tadinho). Nem parece o mesmo perfume. Ok, não é. Não mais. Vou tentar provar o novo e volto um dia desses pra contar.

Eu no Village


by Vanessíssima

Comments Off

Povo, é com honra e carinho que tô lá no Village Beauté. A convite da diva Dâmaris, fui lá contar qual é o meu perfume-metade. Aposto que você que me lê sabe qualé, né não? Rá! Passa lá pra dar um oi pra nóis.

Torço e retorço o nariz


by Vanessíssima em ,

Comments Off


Alto lá! Não vou dar uma de detratora de fragrâncias aqui não. Eu vou é difamar notas, meu povo! Rá! 

Com o tempo, comecei a sacar quais notas minha pele and meu nariz não aceitam de bom grado. De modos que é bater o olho na composição e ver algum ingrediente non grato que a luz vermelha pisca no meu córtex cerebral. 

Algumas vezes minhas notas não queridas aparecem tão escondidinhas na fragrância, que eu acabo encarando e nem noto que elas estão lá. Mas pra isso acontecer, eu tenho que provar o líquido precioso antes de catá-lo. É isso ou nada feito.

Confesso que sou inconstante. Já odiei íris e hoje eu amo ao cubo elevado ao cubo (oi?). Já detestei limão e hoje o bichinho me apetece por demais.

Enfim, bora saber o que me desagrada?

Violeta
Enxaqueca na certa. E o aroma não me apetece. Sem mais.

Frutas vermelhas
Tô pra achar frutinhas bremeias sem cheiro de coisa sintética.

Laranja
Poucas funcionaram comigo. Poucas meeeeesmo. Ninguém me mandou morar na terra da laranja. O ar aqui fede tem cheiro de laranja, afe, socorro, ninguém merece. 

Figo
Nota de figo não faz a minha cabeça. Gosto de comer a fruta, mas fujo desse cheiro na perfumaria. Não gosto, acho enjoativo e ponto final.

Manga
Nem pra comer e nem pra cheirar. Ninguém me mandou morar, quando criança, ao lado de um ser cuja mangueira ensaiava aniquilar a espécie humana, seja por meio de bombardeio aéreo ou pelas frutas que apodreciam e fediam mais do que não sei o quê.

Patchouli
Raramento me deparo com patchouli do meu agrado. Normalmente ele se mostra vulgarzinho, ardido, deveras pinicante. Prefiro quando ele surge mais terroso.

Erva-cidreira
Gosto sim, só que longe de mim, bem longe. Bebi tanto chá disso a contragosto e cortei tanto o dedo nas folhas disso quando criança que peguei aversão. Não posso nem sentir o cheiro.

Musgo de carvalho
Não curto porque tem cheiro de musgo. Rá! Sério, pra mim tem cheiro de bolor à enésima potência. 

E você? Conta aí quais notas não te apetecem!

Hora de Ninar


by Vanessíssima em ,

Comments Off

Nem me toquei que ainda não tinha proseado detalhadamente sobre o Nina (Nina Ricci). Gosto tanto dele. Acho tão meigo, diurno, versátil e coisa and tal.

Pois bem, ele é floral frutal e vem com limão amalfi e limão tahiti na saída, maçã verde, peônia, praliné e datura no coração, e macieira, almíscar e cedro na base.

Docim azedim confortável, Nina se mostra mais doce no inverno e mais fresco no verão. É o que acontece na minha pele. Perfuminho mutante esse. E eu adoro isso.

Já ouvi de um tudo sobre ele, que tem cheiro de caipirinha, que o doce dele é enjoativo, que o lado cítrico pinica o nariz, que ele é infantil, que não tem cheiro de nada, enfim, as opiniões movem o mundo e viva a diferença!

Só sei que ele faz sucesso. Quer uma prova? Contei dez flankers dele. Sim, dez! E olha que ele foi lançado em 2006! Relativamente recente, vai!

Minha pessoa vê o Nina assim: ele abre cítrico (é o limão trabalhando), vira um frutal calcado na maçã envolta por flores, a doçura do praliné apara as arestas e carameliza as frutas, o almíscar é limpinho e o amadeirado é leve, diáfano. 

Nina me remete a parque de diversões, sinônimo de alegria e junk food delícia, com risos soltos, gritos felizes e aroma de guloseimas no ar. Eu, que sou mega fã de montanha-russa, borrifo meu Nina-maçã e vou trabalhar, fechada entre quatro paredes e lamentando não estar dentro de um carrinho invocado num looping magnânimo.  

Cheiro da vez: cannabis


by Vanessíssima em , ,

Comments Off

Não, pra fazer o nariz não tem hora. Sim, há uma porção de perfumes trabalhados na cannabis, plantinha muito utilizada na fabricação de fibras (cânhamo) e, bão, você sabe, também como “droga recreativa” (maconha). Mas não se preocupe (ou sim, néam?), já que até onde eu sei, nenhuma fragrância mantém o THC ativo (o THC é o tetrahidrocanabinol, o principal constituinte psicoativo responsável pelo "barato" associado com a maconha). No mais, mesmo no seu mais profundo pesadelo (ou sonho, néam?), você pode ficar trancada numa sala olhando um monte de maconheiro feliz que você não vai sentir os efeitos da erva. Inalar não chapa, ok?



Cannabis Rose (Fresh)
Cannabis para ladies. Bergamota, rosa búlgara, flor de romã, chocolate amargo, jasmim, cannabis (jura?), patchouli, chá e almíscar branco. Floral amadeirado almiscarado. Não conheço, mas li muitos elogios (um deles foi o da Diana). Promissor ao cubo. A versão masculina da fragrância é o Cannabis Santal, ligeiramente diferente.






Bois Velours (Esteban)
Para os moços. Noz-moscada, pimenta, cannabis, sândalo, patchouli, notas florais, couro, vetiver, almíscar, cedro e âmbar. Amadeirado especiado.






Absolument Absinthe (Le Parfum d`Interdits)
Floral verde com chá preto, bergamota, cannabis, tangerina, noz-moscada, gálbano, jasmim, ylang-ylang, lírio-do-vale, lótus, cardamomo, absinto, sândalo e almíscar. Interessantíssimo, não? Bateu vontade. 









PG02 Coze (Parfumerie Generale)
Cannabis unissex. Vem com cannabis (ahã), pimenta, páprica, café, chocolate, tabaco, madeira, baunilha, patchouli, sândalo e cedro. Cobicei esse oriental amadeirado, viu?







Oxbow Essence de Surf Man (Oxbow)
Aromático frutado com limão, mate, notas amadeiradas, vetiver, patchouli, musgo de carvalho, almíscar, cannabis e Coca-Cola (olha a larica!). Isso é surfe? Sério? 





Conhece algum? Conhece outros? Bota na roda.

(in)Fame


by Vanessíssima em ,

Comments Off

Lady Gaga, gostei do teu perfume não, fia. Quando a gente vê aquele líquido preto até acha legal e tudo, mas quando borrifa, ai, ai. Fame não se mostra nada pimpão, não na minha pele.

Beladona, orquídea, jasmim sambac, mel, damasco, açafrão e incenso me eram promissores, mas não rolou. 

É curioso saber que você “vende” o perfume alardeando que ele não respeita a estrutura piramidal comum na perfumaria. Não entendi porque você me prometeu entregar uma fragrância sem hierarquia nas notas. Não mesmo. Afinal, percebi nitidamente no Fame as dogmáticas três fases de um perfume (saída, coração e fundo).

Te juro que a saída do seu perfume ficou igualinha ao Fantasy (Britney Spears), conhece? Pois é, ficou. Depois o doção gourmand se tornou um pouco mais adulto (ou menos infantil) e então tudo virou um floral melado enfumaçado chato, enjoativo, superficial and comercialesco, genericão mesmo. 

Pior foi aquele cheirinho de perfume vencido que ficou na minha pele depois de algumas horas, antes das notas de base darem tchau. Cara, isso me lembrou os perfumes de uma certa marca brazuca que não ouso dizer o nome, mas que todo mundo conhece por aqui já há uma lojinha dela em cada esquina.

Quede o oriental floral que você me prometeu, colega? Na boa, só encontrei mais uma fragrância doce igual a tantas outras que existem por aí. Se ainda fosse um açúcar que me dissesse algo, sabe? Aliás, ele até diz, mas é bom eu nem pronunciar aqui. Sorry, mas achei uó, querida. Tenta outra vez e a gente volta a conversar.

Oh-oh-oh-oh-oooh-oh-oh-oh-oooh-oh-oh-oh, caught in a bad fragrance. Rah-rah-ah-ah-ah-ah, rama-ramama-ah, Gaga-ooh-la-la. I don't want your bad fragrance!

É o seguinte


by Vanessíssima

Comments Off

Sarei da gripe, mas (e essa conjunção coordenativa adversativa não me indica clara oposição entre idéias agora) tô entrando em férias. Férias? Oba! Volto em setembro. 

Porém, deixei alguns posts programados para o meu período de descanso. Opa, não quero deixar nenhum nariz na mão. 

É evidente que tentarei dar uma passadinha aqui periodicamente pra aprovar e responder comentários, mas não garanto niente, já que aproveito a folga pra ficar o máximo possível longe do computador (diante do qual passo, no mínimo, dez horas diárias por ossos do ofício).

É isso. Fui ali e volto logo. O último que sair apague a luz. 

O Desejo


by Vanessíssima em ,

Comments Off

Bora divagar sobre o Deseo (J. Lo)? Já tinha visto o bichinho por aí, mas nunca dei bola (sabe-se lá por qual razão). Mas aí ganhei uma amostrinha da celestial Srta. Anjos e me perguntei por que não fui cafungá-lo antes. O perfuminho me surpreendeu, viu?

Notas de saída: folha de bambu, yuzu, frésia e bergamota siciliana 
Notas de coração: flor de laranjeira, gerânio rosa, mimosa e jasmim-estrela 
Notas de fundo: sândalo, âmbar, patchouli, almíscar, cedro e musgo de carvalho

Por favor, se você sentiu coco no Deseo fique à esquerda da minha faixa imaginária. Quem não sentiu, vá pra direita. Opa, peraí, tô sozinha na direita, é? Sim, porque o mundo mais a torcida do Flamengo sentem super uma nota de coco nesse perfume. Eu não. Sou do contra. Rá! E olha que eu adoro coco.

Sabe como eu percebo esse Djei-Lô? Um floral pós-chuva bem confortável, delicado, docinho-porém-fresco, com bambu e um amadeirado de fundo. Gostosinho, viu? Bem dia-a-dia. A fixação não é aquela cousa, mas dá pro gasto.

O frasco divide opiniões. Há os que gostam e os que não (dãh!). Eu tenho pra mim que ele é um L de Lolita que caiu do caminhão de mudança, sabe? Reza a lenda que a própria J. Lo criou o frasco. E a gente finge que acredita.

No mais, convém não catá-lo no escuro se você não curte correr riscos. Algumas peles não casam com ele, segundo andei lendo por aí.