Vamos pegar um Cinéma?


by Vanessíssima em ,

Comments Off

Bora pegar um Cinéma (Yves Saint Laurent)? Pega, borrifa e dá aquela cafungada marota. Aposto que não vai bater arrependimento. Coisa digna de Oscar, viu?

Até hoje não entendo como demorei tanto tempo pra conhecer essa belezura. Talvez sejam os deuses trabalhando de forma que o atraso seja justificável no sentido de “olha, você ainda é muito ingênua pra conhecer essa obra-prima. vamos deixar o molho engrossar um pouco, colega?”.

Reparou que os deuses chamaram o Cinéma de obra-prima? Pois é o que ele é! Perfume sublime, do tipo que não se cria mais hoje (por quê? por que pararam de fazer coisas assim? hein?). 

Botando os acentos nos ês, temos em Cinéma – um floral oriental lançado em 2004 – clementina (cruzamento da laranja com a tangerina), ciclâmen e flor de amêndoa na saída; peônia, amarílis e jasmim no coração; e âmbar, benjoim, almíscar branco e baunilha na base.

Ajuda se eu te contar que esse perfume traz umas das melhores baunilhas que eu já senti na vida? Baunilha phyna, elegante e sincera. Brisa reconfortante-porém-marcante sem ofender ninguém.

Cremoso e chiquérrimo, na minha pele ele gruda e não sai mais. Tá, ele sai. Mas demora. Muitão. Ao contrário do que acontece na minha mente, de onde ele não sai nem com reza brava.

O bonito começa floral, quentinho e provocativo (a fruta é beeeem sutil, viu?). Depois transmuta. Vira uma baunilha indescritível, sutilmente temperada, adulta, sofisticada, com toque de amêndoa. Ou seria uma amêndoa com toque de baunilha? Não sei, depende do humor do dia.

Só sei que Cinéma sabe usar decote sem cair na vulgaridade, entende? Ele deve ter aprendido a se vestir com a Angelia Jolie, néam?

Basicamente o supra-sumo da sofisticação. Classudo até dizer chega. Porém, pessoas sem classe (como eu) também cabem nesse doirado. Rá! Absurdo esse São Lorrão!

E aí, vamos pegar um Cinéma