Dia ruim


by Vanessíssima em , ,

Comments Off


Jour d'Hermès (Hermès) tinha tudo pra me agradar, mas não foi bem assim. Eu tava amarelinha de vontade de cafungar o bonito. Lia por aí inúmeros elogios e as seguintes palavrinhas mágicas sobre ele: floral luminoso. E ficava cá com querência. Lu-divina ouviu as minhas lombrigas e me agraciou com uma amostra (super thanks, Lu!). Só sendo persona doida como eu pra entender a alegria que advém daquele momento em que você bota os dedinhos num flaconete desejado. E daí que alegria de pobre dura pouco.

Bora começar pelo começo? Às notas, maestro Zezinho! Na abertura: toranja, limão siciliano e notas aquáticas. No coração: gardênia, ervilha de cheiro, notas verdes e flores brancas. No fundo: almíscar e notas amadeiradas. Mas, óh, pincei essas notas lá no Fragrantica. Jean-Claude Ellena, o nariz por traz do perfume, deixou divulgar nada oficialmente não, viu?

Pois bem, e que saída estranha em mim, meu povo! Azedume rulez! Fruta de fim de feira define. Juro! Como assim?! Não podia crer que minha pele passou a exalar cheiro de fruta cítrica passada! Mas exalou. Meu mundo caiu. Limão de gaveta, por que vieste me dar oi, óh, raios? 

E quando pensei que a coisa fosse melhorar (otimismo/ilusão é tudo na vida!), bão, ela não melhorou. A parte cítrica saiu (oba!) e parte over ficou (socorro!). Cadê gardênia? Cadê o resto gostosinho? 

Senti jasmim e um verdinho amigo, o que já foi bom. Mas senti tuberosa também, e eu não gostei dessa tuberosa (carnal e suja demais pro meu gosto, me deixa!). A coisa ficou meio enjoativa em mim, saca? Percebi um doce além da conta, que me desestabilizou (aloka dramática). Enfim, arestas e mais arestas acabaram com o meu dia.

Só no finalzinho de tudo o perfume me apeteceu. Nessa hora, ele me remeteu ao querido Kelly Calèche EDT. Mas aí já era tarde demais. A dissonância já havia me nocauteado. Minha pele é ruim, gente! Só pode. Ou melhor, ruim é a minha cabeça mesmo. É, foi só um dia/jour ruim...