Archive for Janeiro 2014

Quando é bonito ser over


by Vanessíssima em , ,

Comments Off

É seu aniversário e você ganha um voluptuoso buquê de rosas vermelhas. E você sorri, agradece e bota as flores num vaso com água. No dia seguinte, lá estão as rosas te olhando com olhos de rosa e exalando aquele perfume inebriante, vermelho e amarguinho. Ops, não é seu aniversário? Dá nada não. Você entra numa floricultura, pára no setor de rosas vermelhas e, bazinga, lá vem aquele cheiro característico. Taí o Tea Rose (Perfumer´s Workshop), um perfume pra quem tem coragem. Sim, ele é over. Sim, ele é bonito.

Rosa carnal, rosa grandona, rosa ultra red. Rosa de vaso com água, rosa de floricultura, rosa, rosa e mais rosa. Eis o cheiro mais fiel de rosa vermelha que meu nariz já cafungou num perfume. Sim, você contou certo: eu disse rosa nove vezes neste parágrafo (dez com esta. rá!). Overdose. Overose. Faz parte do show.

Na saída o amargor é mais pungente. Temos aqui uma rosa vermelha fidelíssima. Pouco tempo depois, a flor vai perdendo a cor do pecado e acabamos com uma rosa branquinha e puritana no colo.

No mundo das idéias, Tea Rose tem bergamota, rosa, lírio, tuberosa, sândalo, âmbar, cedro e pau-brasil. Na real, ele é pura rosa aveludada e vivinha da silva. Floralzão de cama, mesa e banho, o amarelão aí é simples-porém-encantado, tal qual a rainha das flores. Não sei como uma fragrância tão baratinha consegue essa façanha (opa, lá fora, onde ela é encontrada, ela custa bem pouquinho).

Lançado em 1975, Tea Rose divide opiniões. Metade do mundo ama esse perfume. Metade odeia. Bão, cá entre nós, tá mais do que óbvio ululante que eu amo, néam? Acho apaixonante. E o que seria do(a) rosa se todos gostassem do(da) lilás?

Colonizando


by Vanessíssima em , ,

Comments Off

Anúncio da Coty Eau de Cologne, de 1936

Na minha cabeça e pro meu nariz, colônia nada mais é do que um perfume super civilizado. Ok, me deixa, mas antes dá uma lidinha no delicioso texto do 1nariz do Dênis. Leu? Agora vamos conversar. Quem aqui tem o hábito de colonizar? Você tem? Então me conta: em quais frascos do gênero você tem sentado o dedo? Eu começo!

Águas Jabuticaba (Natura)
Minha paixão nacional. Bem-estar supremo com cheiro de banho. Dita aqui.

Fleurs de Cerisier (L´Occitane)
A cerejeira deu flor e eu me apaixonei. Mais aqui.

Fleur de Figuier (Roger & Gallet)
A figueira ficou com inveja da cerejeira e deu flor também. E ela é uma gracinha. Provo isso aqui.

Ma Chérie (O Boticário)
Meu Eau de Pijama. Todo trabalhado na lavandinha. Um mimo. Aqui tem mais prosa.

Green Tea (Elizabeth Arden)
Água fresca e energizante. Chá verde com limonada. Super fresh. Foi tema de post aqui.

Eau Parfumée Au Thé Vert (Bulgari)
Outro chá verde pra se beber de golão. Falei sobre a versão Extreme aqui (a diferença é que a original, que é Eau de Cologne de verdade, tem um toquinho cítrico não presente na Extreme).

Sugar Snap (Gap)
Docinha e verdinha, essa coloniazinha me é muito querida. Infelizmente, ela já saiu de linha (e eu choro horrores por causa disso, Gap, sua boba!). Tinha pêra, lótus, madeiras brancas e almíscar.

Naté Naturals Pêra e Morango (Revlon)
Não é propriamente uma colônia, mas faz o papel de. Fresquinho, gostosinho e frutífero (sim, brotam pêra e morango dele), é meu companheiro caseirinho mais baratinho (catei impulsivamente no supermercado há um tempão e nem sei se ainda tá à venda - eu nunca mais vi).

Nem tudo o que eu listei acima é classificado oficialmente como colônia (tem body splash, tem fragrância que parte do combo citricidade + flor + toquinho herbal e tem cheiro que sai do clássico e vai parar no floral e no frutal quase puros and refrescantes). Se você fez a lição de casa e leu o texto do Dênis (linkado ali no comecinho do post), vai me entender.


Querido Kenzo


by Vanessíssima em , , , ,

Comments Off

Querido Kenzo, por qual motivo, razão ou circunstância vossa majestade me descontinuou o Summer By Kenzo, hein? Diz aí, colega! Não pode ser por fracasso nas vendas, já que esse perfume tem uma legião de fãs gastadeiras (na qual eu me incluo. rá!). De modo que, volto a indagar-te, óh, portentoso rei, quedê o Summer By Kenzo, homem? Bora voltar a produzir essa gracinha?

Floral, ele me emocionava com limão siciliano, cítricos e bergamota na saída, mimosa, violeta, frésia, leite de amêndoas, jasmim e lírio-do-vale no coração, e âmbar, almíscar, limão siciliano, notas amadeiradas, cedro e estoraque na base.

Eu via nele algo majestoso pra usar quando me queria com cheirinho de banho tomado no verão. Ele me confortava tanto... Cheiro natural, saca? Ops, não, você não saca, querido Kenzo. Se sacasse não teria tirado o dito cujo do mercado.

Todo clean, todo fresco and suave, Summer By Kenzo era flor com afeto e felicidade (opa, foi, não é mais, já elvis, adeus, baubau). De uma doçura fresca ensolarada ímpar, viu?

Esse seu perfume me era tão calmante, Kenzo. E hoje me é tão estressante, sabia? A calma desaparece quando eu lembro que ele sumiu do universo. 

Aproveitando o ensejo, me conta por que o frasco dele é idêntico ao Parfum D´Été, please! Aliás, taí outro lindo descontinuado. Cara, por que você faz isso comigo? Por quê? Só pode ser perseguição! Tô de mal!

Sem mais.
Vanessíssima

A busca do blog


by Vanessíssima em ,

Comments Off

Muita gente deve ter percebido que a caixinha de busca do blog não tava funcionando há um tempinho. Pois bem, desconfio que resolvi o problema. A coisa não tá 100% bacana, mas tá funcional e vamos ter que conviver com isso até eu descobrir um jeito de deixar tudinho ótimo, ok? Se der problema de novo, só berrar! 

Na hora do desespero, basta dar uma chegadinha no Google, digitar o que você quer buscar aqui no blog e, na frente, escrever van mulherzinha. Isso nunca falha, viu?

É isso!

Flor de figueira


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off


Meu amor pelo cheiro de figo é do tamanho do ódio que eu sentia por ele tempos atrás. Naquela época, se você me dissesse que eu ia garrar carinho pelo figo da perfumaria, ia te mandar de volta pro hospício. Acontece que agora o manicômio é o meu lugar! Rá!

Depois de ver o sublime Un Jardin en Méditerranée (Hermès) indo parar no meu top 5, revirei o zoinho de alegria ao me deparar na farmácia com o recém-lançado Fleur de Figuier (Roger & Gallet). Catar ou não catar, eis a questão. Catei! Fui de frasco pequeno pra provar.

O nariz por traz do figo da Roger é Francis Kurkdjian, o que não é pouca coisa não. As notas de saída são sementes de tomilho e figo. Nas notas de coração temos flor e folhas de tangerina. Já as notas de base trazem leite, madeira e almíscar.

Agradabilíssimo, Fleur de Figuier me apresenta um figo docinho and refrescante. Nada invasivo (pelo contrário, a projeção é fraquinha), ele consegue ser suculento e fresco ao mesmo tempo. 

Ao borrifar, o figo doce se faz presente (jura?!). Figo em calda feelings. Na subseqüência, é possível sentir um toque cítrico brilhante bem paz e amor. Oi, tangerina! Com o tempo, percebo folhas de figo e, assim, o perfuminho passa do frutado pro verde. O leite também é perceptível em alguns momentos.

No geral, Fleur de Figuier me traz uma sensação bem boa, é alegre (quase festivo), relaxante (sim, ele consegue) e me parece mais "mulherzinha" (ou "menos machinho") que o Hermès (que segue meu preferido no quesito figo pra todo o sempre e amém). 

Quem não quer gastar muito e deseja um figo pra chamar de seu no verão pode se jogar no Flér de Figuiê (ui!) sem medo de ser feliz. Custo-benefício tudo de bom nessa vida. Fácil de encontrar (já disse que catei o meu na farmácia), preço bom (paguei 59 dilmavanas no frasco de 30 ml, mas devia ter trazido o de 100 ml por 109 realidades) e cheiro gostoso. 

A fixação não é das melhores, o aroma não é nenhuma obra-prima inenarrável, mas taí um figo honesto pro cotidiano! Valeu, Kurkdjian!

PS: Feliz 2014, povo perfumado!