Flor de figueira


by Vanessíssima em , , ,

Comments Off


Meu amor pelo cheiro de figo é do tamanho do ódio que eu sentia por ele tempos atrás. Naquela época, se você me dissesse que eu ia garrar carinho pelo figo da perfumaria, ia te mandar de volta pro hospício. Acontece que agora o manicômio é o meu lugar! Rá!

Depois de ver o sublime Un Jardin en Méditerranée (Hermès) indo parar no meu top 5, revirei o zoinho de alegria ao me deparar na farmácia com o recém-lançado Fleur de Figuier (Roger & Gallet). Catar ou não catar, eis a questão. Catei! Fui de frasco pequeno pra provar.

O nariz por traz do figo da Roger é Francis Kurkdjian, o que não é pouca coisa não. As notas de saída são sementes de tomilho e figo. Nas notas de coração temos flor e folhas de tangerina. Já as notas de base trazem leite, madeira e almíscar.

Agradabilíssimo, Fleur de Figuier me apresenta um figo docinho and refrescante. Nada invasivo (pelo contrário, a projeção é fraquinha), ele consegue ser suculento e fresco ao mesmo tempo. 

Ao borrifar, o figo doce se faz presente (jura?!). Figo em calda feelings. Na subseqüência, é possível sentir um toque cítrico brilhante bem paz e amor. Oi, tangerina! Com o tempo, percebo folhas de figo e, assim, o perfuminho passa do frutado pro verde. O leite também é perceptível em alguns momentos.

No geral, Fleur de Figuier me traz uma sensação bem boa, é alegre (quase festivo), relaxante (sim, ele consegue) e me parece mais "mulherzinha" (ou "menos machinho") que o Hermès (que segue meu preferido no quesito figo pra todo o sempre e amém). 

Quem não quer gastar muito e deseja um figo pra chamar de seu no verão pode se jogar no Flér de Figuiê (ui!) sem medo de ser feliz. Custo-benefício tudo de bom nessa vida. Fácil de encontrar (já disse que catei o meu na farmácia), preço bom (paguei 59 dilmavanas no frasco de 30 ml, mas devia ter trazido o de 100 ml por 109 realidades) e cheiro gostoso. 

A fixação não é das melhores, o aroma não é nenhuma obra-prima inenarrável, mas taí um figo honesto pro cotidiano! Valeu, Kurkdjian!

PS: Feliz 2014, povo perfumado!