360º experience


by Vanessíssima em , ,

Comments Off

360º For Women (Perry Ellis) é um perfume perigoso. Bandidão mesmo, viu? Cobra criada no mundo do crime. Rouba o sossego de quem exagera nas borrifadas. Assassina narizes acostumados à mansidão. Convenhamos: ele é um perfume difícil, maniqueísta, sem reticências. Do tipo ame ou odeie. Eu curto. Muita gente não (muuuuita mesmo, ok?).

Criado pela super Sophia Grojsman (o nariz por traz do Eternity, da Calvin Klein; do Trésor, da Lancôme; e do Paris, da casa Yves Saint Laurent) e lançado em 1992, ele traz na saída lírio, melão, osmanthus, rosa e tangerina. No coração temos lavanda, vitória-régia, sálvia e lírio-do-vale. Já nas notas de fundo surgem sândalo, âmbar, almíscar, baunilha e vetiver.

Resumindo o 360º: floralzão solar nada inofensivo com cheiro de sabonete. Bastante lírio, bastante melão e almíscar, e uma boa dose de lavanda. Cheiro de banho de sábado, de limpeza pesada, de sabonetão colorido que faz um montão de espuma e perfuma o banheiro todo, sabe como?

Ele começa relativamente fresco e quase aquático por causa o melão. Tem um pouco de rosa cítrica aqui e ali também. Mas, depois, ele dá aquela encorpada e vira um floralzão de braço de polenteira (e viva o lírio!). Pétalas frescas, vivinhas da silva e iluminadas pelo sol chegam chegando. E tudo isso fica lá rodando 360 graus em moto-contínuo. Sim, porque ele gruda na pele. Fixa que é uma beleza!

O mais incrível é que, apesar dos pesares (e dos prazeres), Trezentos e Sessenta é um perfume versátil, cabendo no uso diurno barra noturno e também no inverno barra verão. Basta apertar a válvula com carinho. [dica marota: substitua "carinho" por "moderação" caso você tenha acordado hoje com inclinação pra poesia]

Enfim, taí um bom perfume esporádico! Sim, porque ninguém agüenta manter uma relação monogâmica com o amarelinho aí, ainda que bonitão, por muito tempo. Quando se quer sossego, é bom seguir o caminho oposto. Nosso rei do crime pede uma puladinha de cerca de vez em quando. Mas de comum acordo, viu? Casamento aberto define. Na cabeça dele, a poligamia fortalece a relação. E é bom respeitar o que ele pensa, ainda que a gente não concorde, ok? Conselho de amigue. Rá!