Fiat incenso


by Vanessíssima em , ,

Comments Off

E no princípio era o verbo. E do verbo fez-se o perfume. E faça-se o incenso! E ele se fez. E o nome dele é Incense Avignon (Comme des Garçons). E digo mais: não tem melhor! Tá pra nascer incenso mais lindo, mais soturno, mais religioso, mais tudo. Do tipo que tem o tamanho da Basílica de São Pedro, que vai na missa medieval todo domingo, que fala latim e tudo. É botar na pele e ouvir os monges ao fundo entoando canto gregoriano.

Enfim, sou de uma família italianíssima catolicíssima, portanto fui criada você sabe como. Pulei fora quando cresci, mas os ritos e os mitos me são bem vivos na cachola. De modo que passei Avignon e lá estava eu tremendo de medo diante do Papa Gregório IX, o tal que instituiu a Inquisição. Ok, mas vamos falar de coisa boa. Vamos falar da TekPix.

E o que temos por ora? Temos láudano, especiarias, patchouli, almíscar, musgo de carvalho, cedro, camomila, pau-brasil, mirra, olíbano, incenso, elemi, baunilha e ambreta. É ou não é dos deuses? Ops, de Deus? Avignon pede monoteísmo, né, gente?

Ele nos traz incenso floral, adocidado, florestal, úmido, ambarado, enfumaçado e delirante tudo ao mesmo agora. Ele é igreja antiga, experiência olfativa, arte. 

Pois bem, pra você entender o poder da coisa, apliquei Avignon, meu cachorro chegou perto, curioso pra cafungar, e espirrou. Dominus tecum, Ufo! E olha que ele curte os meus perfumes e não faz atchim por qualquer coisa. O bicho (e aqui eu me refiro ao perfume) é power!

Mas, óh, ele pede temperatura baixa, viu, gente? Nada de sambar na cara da sociedade borrifando Avignon em pleno verão, please! Quem faz isso vai direto pra fogueira! Gregório IX tá de olho!