Do Nilo


by Vanessíssima em ,

Comments Off

Bora trocar um dedinho de prosa rapidex sobre o Un Jardin sur le Nil (Hermès)? Antes, deixa eu perguntar uma coisa: mais alguém por aí lê o nome desse perfume e também se recorda do bom moço Nill (opa, com dois éles) do Dominó-manequim-teu-sorriso-é-um-colar-de-marfim? Mas, óh, eu não gostava deles não, viu? Preferia o Polegar-sou-como-sou-aonde-vou-eu-acho-a-minha-saída. Ok, parei!

Voltando ao perfume que promete nos levar a um jardim às margens do rio Nilo, temos cenoura, toranja, tomate e manga verde na saída, laranja, peônia, tifa, jacinto e lótus no coração, e láudano, íris, canela, almíscar e incenso na base.

Criado pelo super supremo Jean-Claude Ellena, o bonito aí tem manga verde ao cubo, mas que não chega a assustar cachorrinho de madame não. Eu que o diga! Tenho medo de manga (sou mangofóbica, me deixa!) e nem por isso saio latindo quando passo esse perfume.

Cá entre nós, Un Jardin sur le Nil é uma calminha e suave horta pós-rega. Opa, jardim ou horta, Jean-Claude? Ah, não importa! Interessa que esse perfume também tem um pé na quitanda - no meu caso, no quintal (entenda minha mangofobia aqui). Enfim, o cheiro é de fruta verde com brisa leguminosa e toque aquático de lótus. Há um pouco de citricidade e um pozinho mágico de incenso. Tudo bem discreto, natural, ensolarado e low profile. 

Gostoso como todo bom perfume, mas não me catou de jeito. Poemas de amor e musiquinhas do naipe de Manequim eu faço mesmo é pro Un Jardin en Méditerranée (suspiros sobre ele aqui).