Mágicas, figos e marmotas


by Vanessíssima em , ,

Comments Off

Tô aqui segurando um figo madurinho na mão. Pisco três vezes e então ele se transforma no Philosykos (Diptyque). E isso se repete sempre e sempre. E daí que eu viro colega do Bill Murray lá no Feitiço do Tempo. Todo dia é Dia da Marmota. Opa, não, pera lá! Todo dia é Dia do Figo. Rá!

Amadeirado aromático unissex, ele traz na saída folha de figo e figo. No coração tem coco e notas verdes. Na base, cedro, notas amadeiradas e figueira. 

Pra entender um pouco mais o Philosykos, vale a pena dar um ctrl c + ctrl v no que diz a Diptyque. Segue:

Philosykos, que em grego significa "amigo da figueira", é uma ode à toda a árvore: o verde, o frescor pungente das folhas, a madeira aquecida pelo sol, o sabor leitoso do fruto.

Pois bem, pra mim Philosykos é unicamente figo maduro e não se fala mais nisso. Tá, falemos mais nisso! 

Você que tá sempre aqui sabe que eu tinha pânico de figo até conhecer um certo alguém, né? Pois bem, descobri que minha aversão recai é sobre o figo maduro mesmo. Bingo! Philosykos não é pra mim. Mas é um baita de um perfume, viu? Pra quem curte figo no ponto de comer, ele é o que há! E, yes, ele é super compartilhável!

E antes que alguém me pergunte: quero só ver achar esse figo cá no Bananão! Tem não, viu? Mas nós sempre teremos Paris! Ou Hong Kong! Rá! Ok, de Feitiço do Tempo fomos parar em Casablanca, tudo isso falando de figo. Me deixa!