Archive for Dezembro 2014

Milagre


by Vanessíssima em , ,

Comments Off

milagre sm 1. Feito ou ocorrência extraordinária, não explicável pelas leis da natureza. 2. Fig. Acontecimento admirável, espantoso.

Tem gente que tropeça, disfarça e sai andando como se nada tivesse acontecido. Eu tropeço e caio na risada assustando quem nem tinha notado o meu tropeço. Faço isso na rua, no blog e na vida. Nunca escondi de ninguém minha birra com os perfumes da Lancôme. E nunca contei aqui que torcia o nariz pro Miracle. Pois bem, torcia. Conheci o dito numa época em que eu não ligava muito pra perfume. E ali eu vi cheiro de nada com coisa nenhuma e uma pontadinha de irritância. Resumindo: odiei o dito cujo.

E então o tempo passou, eu passei do tempo (rá!) e resolvi recafungar o Mirrácle (a pronúncia dele é essa, gente - a coisa é francesa). Aí eu saquei a delicadeza daquele cheiro. E percebi que a irritância de outrora era a mais bela lichia que eu já havia encontrado na perfumaria. Milagre define (sem trocadilhos).

Pois bem, Miracle é um floral fresco que tem lichia, frésia, magnólia, jasmim, gengibre, pimenta, âmbar e almíscar. Além disso, Miracle tem felicidade, frescor and borbulhância que a gente sente de longe (agora tenta falar borbulhância em voz alta. rá!). 

A lichia dá aquele toque de fruta sabor água, sabe qual? As flores orvalhadas trazem um tico bem tico de doçura cintilante, o gengibre e a pimenta dão uma leve temperada na coisa toda (em mim, eles aparecem bem pequenininhos, do tamanho ideal) e a base é bem calminha and confortável e vai ficando cada vez mais linda com o passar das horas. Engraçado que algumas vezes eu sinto uma brisa atalcadinha bem suave no coração (no do perfume e no meu, olha que lindo!). 

Enfim, tudo sempre bem equilibrado tal qual perfume de mãe, sabe? De mãe solar, que não pára quieta um segundo, que adora tomar vários banhos por dia, que tá sempre sorrindo e se preocupando com o bem-estar alheio. 

Quem curte Chance Eau Tendre (Chanel), Brit Sheer (Burberry) e Omnia Crystalline (Bvlgari) tem tudo pra gostar do Miracle, já que a vibe é a mesma. Só acho conveniente prová-lo antes de abrir a carteira. Tem gente que não vai gostar da lichia, alguém vai torcer o nariz pra pimenta e uma galera vai estranhar o gengibre. Eu achei tudo lindo, cintilante, de muito bom gosto, super fresco e bem summer. E ao contrário dos colegas da categoria, ele fixa absurdamente bem. 

Só sei que Miracle é tão alegre, mas tão alegre, que se você usar no dia errado periga ele te dar um sorridente "bom dia!" e você esbravejar: "bom dia por quê?". Sorry pela vibe comédia stand-up de quinta. Não foi proposital. 

Só sei que catei um Mirrácle pra mim naquela que me foi a melhor compra do ano. E foi assim que um perfume que eu desprezava foi parar no panteão dos meus preferidos. Milagre! De novo.

Love sem Glamour


by Vanessíssima em , ,

Comments Off

Laranja e pimenta tá bão pra você? Se estiver, se joga no Love And Glamour (JLo). Só não espera o glamour, tá?

Tangerina, goiaba e nectarina estão no topo. Vitória-régia, orquídea e flor de laranjeira formam o coração. Na base, sândalo, almíscar e âmbar. 

Notaram que não tem laranja e pimenta na composição, né? Mas eu sinto! E com força! Laranja e pimenta rebolativas tal qual JLo. A culpa é da tangerina, da goiaba e do sândalo que, juntos, me enganam direitinho e me fazem ver coisa onde não tem.

Não sei por qual motivo, razão ou circunstância Jennifer Lopez se apega às frutas e ao cheiro de limpeza/sabonete/amaciante em 99% do que leva o nome dela. Aqui não é diferente. Love And Glamour é frutalzíssimo com cheiro de roupa limpa que saiu da máquina de lavar. Quedê o glamour disso, meu povo? É, não tem. Mas temos aí um perfuminho diurno, educado e fácil de agradar. [bocejo]

E a Jenny do quarteirão, que costumava ter pouco e agora tem um monte, que não importa pra onde ela vá, ela sabe de onde ela veio, bom, ela fica parada enquanto a grana rola.*

* citação (adaptada por minha conta, risco e licença poética) da música Jenny from the block, by Jennifer Lopez

Sicilyana


by Vanessíssima em , ,

Comments Off

Sendo tataraneta, bisneta, neta, sobrinha, prima e filha de sicilianas, eu tenho que dizer: Dolce & Gabbana acertou em cheio com o Sicily. Nenhum perfume traduz melhor essas mulheres intensas, dramáticas e bem-humoradas, que têm um pezinho na jaca e um sorriso no rosto. Ok, eu também tô falando de mim. Abafa. 

Mas o fato é que eu cresci entre pessoas made in Sicily, com direito a almoço dominical cheio de gente e de comida. E essa gente não tem vergonha de chorar ouvindo música na frente de todo mundo, não se cala diante dos problemas de alguém da família, não se contenta em falar só com a boca, não se resume a um aperto de mão, não se satisfaz em oferecer apenas um prato de macarronada, não se contém diante de uma garrafa de vinho e não perde a chance de gargalhar. 

Essa gente canta junto e chora aqui no Brasil com a música da polenta (quando si pianta la bella polenta, la bella polenta si pianta così, si pianta così, si pianta così...), tem sempre algum conselho ou puxão de orelha pra dar pro parente, fala com a boca e com as mãos, distribui abraços apertados e panelas de macarrão, acredita que o álcool tempera a vida, e ri de si mesma e para si mesma. Por essas e outras, tenho cá comigo que sicilianos não são pessoas; são experiências sensoriais.

Pois bem, Sicília é a terra da minha família, do vulcão Etna, do dialeto engraçado, da bruxa que distribui presentes depois do Natal, dos banquetes familiares com finalidades logísticas (afinal, neles são discutidos os sucessos e os insucessos da italianada), do mar azulzinho, do Don Vito Corleone e do Dolce do Dolce & Gabbana (sim, Domenico Dolce nasceu lá).

Sicily é a terra da madressilva, da flor de laranjeira, da banana, da bergamota, da noz-moscada, do jasmim, do hibisco, do jacinto, da rosa, do sândalo, do almíscar e do heliotrópio.

Cremoso, ensolarado, marcante e voluptuoso, Sicily vai do drama à felicidade (ambos sicilianamente exagerados) num segundo. Assim como os sicilianos, ele se esforça lindamente pra te conquistar. Ligeiramente doce, com notas florais potentes, Sicily traz boas doses de deliciosidade sob a classificação floral oriental.

E é aqui que eu paro de falar sobre esse perfume. A coisa toda degringolou pra uma parcialidade absurda de minha parte. Sorry pela resenha não-resenha. Aliás, eu não faço resenhas de perfumes; eu escrevo textos sobre perfumes (sim, são coisas distintas, me deixa!). 

E fica aqui o meu convite: se você achar um Sicily por aí (infelizmente ele foi descontinuado), se joga na cafungada! Ah, e se você topar com algum siciliano, nunca pergunte sobre os calabreses (reparou que no mapa a Calábria é a ponta do pé da bota que parece que tá dando um chute na Sicília?).

Arrivederci!