Archive for Agosto 2015

Bello ragazzo


by Vanessíssima em ,

Comments Off


Muita coisa já foi dita sobre o Valentino Uomo (Valentino), inclusive que ele se parece com o Dior Homme (Dior). Mas eu vou mandar um sincerão e bradar por minha conta e risco: não, eles não se parecem. Não na minha pele. A única relação que eu vejo na coisa toda - tirando o pai da criança, que é o mesmo (a saber: Olivier Polge) - é que ambos pertencem à seara dos masculinos com uma certa doçura. E para por aí. Dior Homme tem mais sustância, é muito mais mágico (tirando aquela abertura chatinha com cheiro de maquiagem, né?). Mas isso não dá passe livre pro Valentino Uomo não ser bacana. Na real, ele é legal. (E viva a rima!)

Uomo guarda em seu lindo frasco notas de bergamota e mirtilo na saída, café e creme de gianduia no coração, e couro e cedro na base. Pra quem não sabe, gianduia é uma mistura italiana de chocolate com pasta de avelã (com mais chocolate do que avelã, mais precisamente 70% e 30%, respectivamente). Só não se esqueça de que chocolate de verdade não é carregado no açúcar como acontece aqui no Brasil, ok? Aliás, chocolate nacional nem é chocolate (me entenda aqui). 

Voltando ao Valentino Uomo, eu o vejo de cara como um doce mais seco e aromático, rente à pele, bem low profile, com um final amadeirado macio. Ele começa fresco e amarguinho com a bergamota. A cremosidade do chocolate não surge de pronto. Demora um pouco. Mas ela fica quase abafada pela secura da avelã, que aqui combina muito bem com o café. O café, aliás, é extremamente sutil e acho que tá ali mais pra causar uma pinçada estimulante no conjunto, sabe? O couro é outro ingrediente mínimo, quase imperceptível pra mim, mas que faz toda a diferença ao pegar na sua mão e te trazer pro lado terreno da força. No final, couro e cedro se unem trazendo um pouco de peso ao todo. 

No geral, percebo todas as notas suavizadas e equilibradas. Nada sai gritando em Valentino Uomo. Temos aí um phyno e bello ragazzo. Do tipo confortável, ele não eleva o índice glicêmico de ninguém. 

Só sei que a viagem toda é bem legal e agrada igualmente meninos e meninas. Yes, todo mundo pode ser feliz com esse garotão!

Faltou êxtase


by Vanessíssima em , ,

Comments Off

A árvore da perfumaria tá carregada de frutos doces. Acontece que um deles amadureceu e tá pedindo pra ser colhido e degustado. E a fruta da vez é proibida pra menores. Não, não é a maçã. Mas vem da marca-ícone da macieira: Nina Ricci. L'Extase é o nome da fruta.

Pertencente à safra atual de doces adultos com intenções carnais levemente xaroposas, L'Extase tem rastro poderoso e fixação excelente (seis horas depois de aplicado, eu ainda podia senti-lo bem na minha pele, e a história iria ainda mais longe se eu não tivesse entrado no banho).

Confesso aqui que costumo manter distância da vibe fruta docinha para maiores. E foi justamente isso que imperou na minha pele ao longo de boa parte da evolução desse perfume. É, não fiquei extasiada. Tenha isso em mente ao continuar sua leitora. Obrigada. De nada.

Oficialmente, L'Extase vem com flores brancas, rosa, pimenta-rosa, benjoim, cedro da Virgínia e almíscar. Porém, o que o meu nariz sente num primeiro momento é framboesa barata glaceada com casquinha crocante feita de uma parte de açúcar, duas partes de água de rosas e uma pitada de pimenta-rosa. Devo ressaltar que, por motivos óbvios, achei a framboesa meio over. Pois é, curti não. Mas essa sou eu, pessoa desgostosa com fruta vermelha.

O tempo passa e a coisa toda vira uma geléia de rosas bastante promissora, com direito a um bocadinho maroto de benjoim, que (e)leva tudo pra outro nível e traz um pouco de "resinosidade" caramelada ao conjunto, baixando a bola da desagradável framboesa. Senti ainda uma baforada de pêra madura do além, que deu uma diluída na solução. De onde ela veio? Ninguém sabe. Ninguém viu.

O cedro é bastante discreto e tempera a geléia de rosas com aquele cheirinho mágico de quando o lápis sai do apontador. Já o almíscar final foi outro problema pra mim: ele azedou legal na minha pele. 

Não vejo L'Extase agradando às formiguinhas-mirins. Vejo tudo isso fazendo sucesso com a marqueteira categoria mulher-jovem-independente-adocicada. Estão plantados nesse mesmo pomar La Vie Est Belle (Lancôme), Flowerbomb (Viktor & Rolf), Body (Burberry) e Fame (Lady Gaga), pra citar alguns.

Sim, você já esteve nesse farto pomar antes. L'Extase não inova e se parece com muitos, ainda que não seja igual a nenhum. A pergunta que fica é: até quando as pessoas vão agüentar? Uma hora o povo cansa de comer a mesma fruta, né? Mas eu aposto que esse perfume tá vendendo feito banana na feira! Ele foi feito pra isso. Bom, pelo menos o frasco é bonito. Rá!

Enfim, ando vendo por aí que pessoal teve mais sorte (ou seria bom gosto?) do que eu. Esta que vos escreve anda velha, cansada e chata, talvez isso justifique minha vontade de catar uma bazuca e sair atirando na perfumaria atual. Ops, foi mal! Pensei alto aqui.