Balé urbano


by Vanessíssima

Comments Off

Make B. Urban Ballet chegou n’O Boticário como edição limitada e promete ficar até meados de setembro. Até lá, (quase) todo mundo vai ter tempo de prová-lo e achá-lo parecido com o 212 VIP Rosé (Carolina Herrera). Até na cor do frasco. 

Abre parênteses. Particularmente, prefiro o nacional. Tem algo ali no perfume da Senhora Herrera que me enfadonha depois de um tempo. Já o do Boti me é mais rico e encorpado. Achei uma delícia do começo ao fim e acabei adotando um (apesar do precinho chato – a saber: R$ 119 por 70 ml de líquido). E pensar que eu nem entrei na loja interessada nele. Não fosse a simpaticíssima vendedora querendo bater a meta do mês, eu nem teria cafungado o dito cujo [coleguinhas da Amanda, aprendam com a moça!]. Fecha parênteses. 

Classificado como floral amadeirado, Urban Ballet tem, segundo a marca, pera [gramáticos, me devolvam o acento diferencial que tava aqui, please!!!], flores transparentes e cardamomo na saída, tulipa negra, rosas e lírio no coração, além de cedro, cashmeran, caramelo e vetiver na base.

Eu bem que queria uma definição pra “flores transparentes”. Alguém tem? Não? Então vamos filosofar e decidir que “flores transparentes” são pequenas florzinhas banhadas pela luz do sol numa manhã de outono. E aí a gente derrama um pouco de suco de pera sem acento nelas e tudo isso junto faz ploc. Borbulhas efervescentes surgem. E temos aqui um delicado cheiro de champanhe a rodopiar. 

Desconheço o que uma tulipa negra faria pelo meu nariz, então me abstenho de tagarelar acerca de.

Já a base, ah, a base... Foi ela que me fez voltar lá na loja e responder ao imaculado “débito ou crédito?”. Madeira macia temperada com um fio de caramelo e uma pitadinha de vetiver, tudo rente à pele e aconchegante é o que temos por ali.

Em suma, Urban Ballet começa com cheiro de espumante, segue floral fresco e termina numa base amadeirada levemente doce bastante confortável. E a fixação? Contei nove horas e entrei no banho. Tá bom pra você?

Taí um perfuminho que evolui lindamente na avenida. Apesar dos contrastes (saída fresca borbulhante X base morninha), tudo é bem equilibrado, nada destoa, com a escola terminando o desfile de forma corretinha. Fragrância casual, versátil e despretensiosa. Não muda a vida de ninguém, mas é gostosa de usar. Venderia mais se custasse menos. Enfim, fazia tempo que eu não me encantava com algo do Boti, viu? Uma pena ser edição limitada.

PS: O blog ainda vive. Ele anda mais devagar quando a vida vai mais depressa.